Lance Após nova recusa do COB, Yasmin Brunet critica entidade: 'Desculpas que não fazem sentido'

Após nova recusa do COB, Yasmin Brunet critica entidade: 'Desculpas que não fazem sentido'

Esposa de Gabriel Medina não poderá estar presente com a delegação do surfista na Olimpíada de Tóquio

Lance
Lance

Lance

Lance

O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) vetou a presença de Yasmim Brunet na Olimpíada de Tóquio. A entidade não liberou o credenciamento para a esposa de Gabriel Medina ir para os Jogos Olímpicos como parte da equipe técnica do surfista. Em uma rede social, a modelo publicou uma sequência de vídeos criticando a organização e apontando desencontros na argumentação apresentada pelo COB.
+ Confira a classificação do Brasileirão

- Ele é um dos atletas com mais chance de medalha hoje em dia, para trazer medalha para o Brasil e tem esse descaso com um pedido dele que é só para ser tratado igual aos outros surfistas, para ele levar quem ele quer levar. Ele não quer levar uma pessoa a mais, ele não quer nada além do que as outras pessoas estão fazendo. E é quem ele quer levar, o que está acontecendo é que estão decidindo por ele. Na verdade aconteceram muitas coisas nesse meio tempo, muitas desculpas que não fazem sentido, algumas inverdades também, então... é, tá complicado e não faz muito sentido - começou Yasmin Brunet.

Por conta da pandemia, o número de integrantes regulamentados pelo COB baixou para um por surfista. Assim, Medina, que criticou duramente o comitê, pediu à entidade a troca do técnico australiano Andy King por sua esposa. Em nota à CNN, a organização ponderou que 'de acordo com o regulamento dos Jogos Olímpicos, somente um profissional que esteja credenciado na lista larga pode substituir outro'.

Segundo os vídeos publicados nesta quarta-feira por Yasmin Brunet, o Comitê Olímpico Brasileiro tem dado justificativas diferentes sobre o veto.

- Várias pessoas do COB, cada pessoa dá uma desculpa diferente, uma desculpa que não tem nada a ver com a outra. A gente já chegou a receber um e-mail dizendo que por questões internas de preservação de imagem do COB e dos atletas, por essa questão eu não poderia ir. A gente já recebeu a desculpa que eu estava numa lista que não seria a lista original, mas outra lista, o que não é verdade. A gente já recebeu uma desculpa que o COB liberou, mas o COI não está liberando. E já recebeu uma outra desculpa de que... bem é ridículo e agora eu já até esqueci, mas bom... Várias desculpas que não fazem sentido - alegou a modelo.

- Antigamente eles podiam levar duas, mas agora por causa da pandemia, claro super compreensível super correto, só se pode levar uma pessoa. Eles podem escolher essa pessoa, inclusive tem uma pessoa levando o marido e uma pessoa levando um amigo, o que eu acho que está completamente certo. Isso queria deixar muito claro, isso eu acho completamente certo. Só o atleta sabe o que ele vai precisar nessa situação, o próprio atleta sabe o que ele vai precisar nesse momento, só ele sabe quem realmente vai ajudá-lo, quem ele quer que vá. Isso eu acho que deveria ser respeitado - concluiu Yasmin.

Em junho, o COB lembrou que, em decorrência da pandemia, teve de cancelar o programa "Familiares e Amigos", pelo qual o comitê daria todo o suporte para que os competidores pudessem receber as pessoas mais próximas na cidade sede dos Jogos. O Japão impôs restrições a todos os países participantes, impedindo inclusive a entrada de familiares, amigos, fãs e turistas no país durante o período dos Jogos, que também devem ocorrer sem público.

Últimas