caso daniel
Futebol Veja as últimas imagens de Daniel com vida na festa da família Brittes

Veja as últimas imagens de Daniel com vida na festa da família Brittes

Vídeo mostra o jogador se divertindo na festa da família Brittes horas antes de ser assassinado em São José dos Pinhais

Vídeo mostra o jogador se divertindo na festa da família Brittes horas antes de ser assassinado em São José dos Pinhais

Daniel se diverte em festa

Daniel se diverte em festa

Reprodução/Instagram

Um vídeo divulgado no programa Cidade Alerta, da RecordTV, nesta terça-feira (6), mostra as últimas imagens do jogador Daniel Corrêa, de 24 anos, ainda com vida e se divertindo na festa de aniversário da jovem Allana Brittes, no dia 27 de outubro passado. Horas depois, o atleta do São Paulo, emprestado ao São Bento, seria espancado, torturado e assassinado com requintes de crueldade em São José dos Pinhais (PR).

Sexo, traição e vingança: por que o jogador Daniel foi assassinado

Segundo o inquérito policial que apura o crime, Daniel foi flagrado no quarto de Cristiana Brittes, de 35 anos, esposa de Edison Brittes Junior. O jogador havia tirado fotos ao lado da mulher na cama e as enviado para amigos.

Imagens feitas por pessoas que estavam na festa — testemunhas que tiveram as identidades preservadas pela polícia — mostram os jovens se divertindo na casa da família Brittes.

Suspeitos negam intenção de matar e só queriam deixar Daniel nu

Naquele momento, por volta das 8h da manhã de sábado, o atleta estaria sendo brutalmente agredido no quarto do casal Edison e Cristiana.

Conversa de Edison Brittes com um amigo do jogador

O empresário, que foi preso junto com a mulher e a filha — ambas acusadas de participação no assassinato —, também telefonou para a mãe e um amigo de Daniel. Nas ligações, Edison procurava demonstrar consternação pela morte do jogador e desconhecimento do que teria realmene ocorrido.

Testemunhas desmentem os Brittes

A versão apresentada pelo casal Edison e Cristiana Brittes à polícia sobre o assassinato foi desmentida em depoimentos de testemunhas prestados nesta terça-feira (6) na Delegacia Regional de São José dos Pinhais.

Segundo os relatos de quatro jovens que presenciaram o caso, a porta não havia sido estourada pelo empresário, mas sim arrombada depois do assasssinato para servir como álibi.

Arte R7

Tortura, assassinato e briga de bar: veja casos traumáticos do esporte

    Access log