'Torcedores voltarão a lotar estádios', diz presidente da Uefa

Em discurso, Ceferin aponta para a certeza de que o novo coronavírus não irá acabar com o futebol e nem com a alegria do esporte

Ceferin presidiu a federação eslovena

Ceferin presidiu a federação eslovena

Yves Herman/Reuters/03-03-20

Para o faixa preta de karatê e ex-soldado na guerra de independência da Eslovênia, em 1991, Aleksander Ceferin, presidente da Uefa, comandar a entidade neste momento de pandemia, em que o futebol está paralisado, tem sido mais uma luta em sua vida.

Leia mais: Torcedores sofrem sem futebol: 'Sinto falta até de xingar o juiz'

As incertezas pairam no ar em relação a qualquer definição de prazo de retorno. E, ao mesmo tempo que a entidade desembolsou cerca de R$ 1,5 bilhão para auxílio aos clubes neste momento, Ceferin tem como principal recurso manter o discurso otimista.

Veja também: Orçamento alto do Flamengo se traduz em títulos para o clube

"O coronavírus é algo terrível...mas sairemos da crise", disse nesta semana, segundo o jornal As. Ele discursou em sua terra natal, a Eslovênia, em evento comemorativo do centenário da federação de futebol local, a qual ele presidiu entre 2011 e 2016, ano em que passou a comandar a Uefa.

Mesmo não tendo nascido em um país com muita tradição aos olhos do mundo, Ceferin é um apaixonado pelo esporte. E ele acredita que essa paixão, inerente a bilhões de pessoas, não será afetada pelo vírus.

"Em todo o mundo e em todos os setores da sociedade está sendo duríssimo, mas para ilustrar o pior desta crise vem o futebol e a falta que ele faz, já que transmite positividade e leva alegria às pessoas. De nenhum modo penso que esta pandemia vai acabar com nosso esporte. E mais, levará um tempo, mas os torcedores voltarão a lotar os estádios com paixão e emoção", afirmou.

Memes: falta de futebol deixa internautas 'doentes' de saudades