Tite tentou livrar CBF, mas lista de Jardine reitera 'guerra' com clubes

Técnico da seleção principal não convocou jogadores que atuam no Brasil, enquanto o da equipe olímpica desfalcará times na reta final do Brasileirão

Tite não convocou jogadores que atuam nos times brasileiros

Tite não convocou jogadores que atuam nos times brasileiros

Reprodução CBFTV

Mais uma convocação para a seleção e desta vez o técnico Tite poupou clubes e torcedores brasileiros de um novo desgosto. Ele não chamou nenhum jogador que atua no país para disputar os amistosos que serão realizados contra Argentina e Coreia do Sul nos dias 15 e 19 de novembro. Por trás desta atitude aparentemente simpática está a ideia de não desfalcar os clubes no momento em que o Campeonato Brasileiro entra na sua fase de definição.

Prevaleceu o bom senso, certo? Neste caso, sim.

O problema é que em se tratando de sensatez e coerência a CBF não consegue ser cem por cento. Tite, por exemplo, foi razoável, mas seu colega da seleção pré-olímpica, André Jardine, não.

A convocação para um tal torneio de Tenerife, na Espanha, entre os dias 14 e 17 de novembro, chamou a atenção pela quantidade de jogadores "brasileiros" que foram chamados. Onze no total. Ou seja, o que Tite fez, ou deixou de fazer, Jardine simplesmente ignorou.

Nas datas em questão, serão disputados clássicos como São Paulo e Santos, Grêmio e Flamengo, Corinthians e Internacional. E aí, quando os clubes mais vão precisar dos seus craques, eles estarão na Europa. O tricolor Antony, o gremista Matheus Henrique, o corintiano Pedrinho são os exemplos gritantes de mais um absurdo cometido pela CBF.

Fla quase lá! Confira os times já garantidos na Libertadores de 2020