Campeonato Brasileiro

Futebol São Paulo vence Atlético-GO e se afasta da zona de rebaixamento

São Paulo vence Atlético-GO e se afasta da zona de rebaixamento

Jogo terminou 2 a 1 para o São Paulo, que fez bom primeiro tempo mas perdeu ritmo no fim, em dia de estreia de Calleri

  • Futebol | Eugenio Goussinsky, do R7

Rigoni comemora o gol marcado por ele no primeiro tempo

Rigoni comemora o gol marcado por ele no primeiro tempo

Marcello Zambrana/Agência Estado/19-09-21

O São Paulo reencontrou o bom futebol que o levou ao título do Paulista deste ano e venceu a bem armada equipe do Atlético-GO, por 2 a 1, neste domingo (19), no Morumbi.

Até os 20 do segundo tempo, o São Paulo dominava o jogo tendo feito os dois gols por meio de Rigoni, aos 35 do primeiro tempo, e Luciano, aos 10 do segundo.

No fim, levou um gol e oscilou mais uma vez em campo.

Buscando retomar o poderio ofensivo, o técnico Crespo promoveu a estreia do atacante argentino Jonathan Calleri, que já jogou no clube em 2016 e retornou em 30 de agosto deste ano. Ele entrou aos 33 da etapa final, no lugar de Luciano.

O resultado trouxe alívio para o São Paulo, que iniciou a rodada com apenas um ponto a mais do que o América-MG, este já na zona de rebaixamento. Agora a equipe ficou a quatro pontos do Z4 e encostou no próprio Atlético-GO, com um ponto a menos.

Além disso, o São Paulo manteve uma invencibilidade em casa contra o adversário. Foi a sexta partida entre ambos na capital paulista, desde a primeira, em 2010, e o São Paulo nunca foi derrotado, tendo quatro vitórias e dois empates.

O clima pesado que envolveu a equipe nas últimas semanas se dissipou em campo.

O São Paulo se mostrou unido e marcando sob pressão desde o início do jogo, impediu que o Atlético-GO utilizasse as saídas rápidas, uma de suas principais características.

O São Paulo avançava pelas laterais e contava com uma boa movimentação do meio-campo e dos atacantes, Luciano e, principalmente, Rigoni. A equipe foi criando chances, obtendo vários escanteios e pressionando o adversário.

Até que, aos 35, em uma jogada muito bem construída, Reinaldo recebeu da defesa, acionou Rigoni, que tocou para o outro lado. Rodrigo Nestor recebeu e cruzou na cabeça de Rigoni, que já estava na área para concluir no canto: São Paulo 1 a 0.

A essa altura, algumas jogadas importantes já haviam ocorrido. Aos 26, numa das poucas vezes em que o Atlético pressionou, Arboleda tocou para o goleiro Tiago Volpi, que, pressionado por Baralhas, chutou para escanteio, da pequena área.

Volpi, que tem sido criticado por torcedores, deu uma bronca em Arboleda, como se dissesse: "Já estou em uma situação difícil, estão pegando no meu pé e você vem com essa para me complicar!"

Na jogada seguinte, Willian Maranhão interrompeu, com truculência, um contra-ataque de Igor Vinícius, jogando-se no corpo do são-paulino, que ficou com o olho muito inchado, levando a mão ao rosto até o fim do primeiro tempo. No intervalo, ele foi substituído por Galeano.

Enquanto o jogador era atendido, Reinaldo e Luciano conversavam no canto do campo, ao lado do técnico Crespo. No fim da conversa, Luciano fez uma pergunta para o treinador, que aí sim interferiu dando uma resposta afirmativa.

A cena mostrou que o ambiente na equipe tem sido pautado por um treinador maduro, que permite o diálogo entre os jogadores e está sempre presente para qualquer esclarecimento.

O primeiro tempo terminou neste ritmo, com o São Paulo, organizado e com um meio que fechava bem as investidas do Atlético, se impondo na partida.

E Galeano, atacante por natureza, manteve o espírito ofensivo pela lateral e, aos 4, avançou, chutou de fora da área, para bela defesa do goleiro Fernando Miguel.

O São Paulo entrou na etapa final com uma modificação no esquema.

Luan, que estava mais recuado, como um terceiro zagueiro, passou a atuar mais no meio, fazendo a equipe ganhar ainda mais volume de jogo no setor.

Com Janderson entrando no ataque, o Atlético buscou ser mais ofensivo, com jogadas pelos lados.

Mas, pelo meio, faltava poder de criação, já que Baralhas estava sobrecarregado, obrigando o atacante André Luis a recuar para ajudar na armação, diminuindo o poderio ofensivo do time.

E não demorou para o São Paulo fazer o segundo, novamente com avançada de Galeano, que cruzou, Rodrigo Nestor tocou de letra e Luciano aproveitou, em velocidade, desviando para o gol: São Paulo 2 a 0.

A partir daí, a meta do São Paulo foi não repetir as falhas de jogos anteriores quando, com a vantagem, a equipe se descontrolou, como na primeira partida contra o Fortaleza, pelas quartas da Copa do Brasil.

E a história ameaçou se repetir quando, aos 25, Matheus Barbosa recebe cruzamento e, livre, fez 2 a 1.

Crespo imediatamente colocou o volante uruguaio Gustavo no lugar de Rodrigo Nestor, que estava atuando praticamente como um meia.

O São Paulo acabou correndo riscos ao atrair o Atlético para o seu campo. O adversário criou chances, como um chute na rede pelo lado de fora, de Dudu, aos 38.

O São Paulo ainda tentou reagir, com algumas avançadas e cruzamentos de Calleri, mas o Atlético insistia e pressionou até o fim, com o jogo servindo como um resumo do São Paulo no ano. Uma equipe competitiva, como no primeiro tempo, e ao mesmo tempo oscilante, como no segundo.

Na próxima rodada, a 22ª, o São Paulo enfrenta o líder Atlético-MG, às 21h, no sábado (25), no Morumbi. Já o Atlético-GO irá enfrentar, em casa, o Cuiabá, às 20h30 da segunda-feira (26).

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 2 X 1 ATLÉTICO-GO

Local: estádio do Morumbi, em São Paulo
Data e horário: domingo (19 de setembro de 2021), às16h
Árbitro: Caio Max Augusto Vieira (RN)
Assistentes: Jean Márcio dos Santos (RN) e Lorival Cândido das Flores (RN)
Árbitro do VAR: Emerson de Almeida Ferreira (MG)
Cartões amarelos: Willian Maranhão e Léo
Gols: Rigoni, aos 35 do primeiro tempo, Luciano, aos 10 e Matheus Barbosa, aos 25 do segundo tempo

SÃO PAULO: Tiago Volpi; Igor VInícius (Galeano), Arboleda, Léo e Reinaldo; Luan, Liziero (Shaylon), Rodrigo Nestor (Gabriel Neves) e Gabriel Sara (Bruno Alves); Rigoni e Luciano (Calleri). Técnico: Hernán Crespo.

ATLÉTICO-GO: Fernando Miguel; Arnaldo (Dudu), Wanderson, Eder e Igor Cariús (Janderson); Willian Maranhão (Matheus Barbosa), Rickson (Ronald), Baralhas e Natanael; Montenegro (Lucão) e André Luís. Técnico: Eduardo Barroca.

Veja fotos inéditas da concentração do Brasil antes da Copa de 1958

Últimas