caso daniel
Futebol São Paulo promete pagar salário de Daniel até fim de contrato

São Paulo promete pagar salário de Daniel até fim de contrato

Meia, que foi assassinado em Curitiba, tinha vínculo de empréstimo com São Bento até final do ano; sindicato diz que honrar compromisso é praxe

Morte Daniel

Daniel foi emprestado do São Paulo ao São Bento

Daniel foi emprestado do São Paulo ao São Bento

Divulgação/São Paulo FC

Morto no último final de semana, Daniel Corrêa estava emprestado pelo São Paulo ao São Bento até o fim do ano. Mesmo com o assassinato do jogador, na região metropolitana de Curitiba, o Tricolor prometeu pagar sua parte do salário à família do atleta.

O jogador também recebia do time sorocabano uma pequena parte da quantia do seu salário. Em contato com o R7 ainda na última segunda-feira (29), o presidente Márcio Rogério Dias disse que o momento era de “confortar a família” e iria tratar do assunto futuramente. O dirigente não atendeu as ligações ou respondeu as mensagens da reportagem desde então.

Já o presidente do Sindicato dos Atletas Profissionais de São Paulo, Rinaldo Martorelli, explicou que os clubes não seriam exigidos por lei a cumprir o restante do contrato. Ainda assim, preferem honrar os vencimentos por uma “atitude solidária” além de ajudar com traslado do corpo e enterro.

“Teoricamente, o contrato é rompido. O clube não é responsável pelo o que o atleta fez em um momento que estava fora das atividades profissionais. Não dá para exigir, mas é sempre legal que ele cumpra o contrato e ajude a família de alguma forma”, disse Martorelli.

Além disso, a Lei Pelé garante que são “direitos e deveres das partes contratantes, inclusive garantia de seguro de vida e de acidentes pessoais para cobrir as atividades do atleta contratado”. No caso de Daniel, a família do jogador será a beneficiaria.

“As entidades de prática desportiva são obrigadas a contratar seguro de vida e de acidentes pessoais, vinculado à atividade desportiva, para os atletas profissionais, com o objetivo de cobrir os riscos a que eles estão sujeitos”, diz a redação do Artigo 45.

Veja também: Do Cruzeiro ao São Bento: Relembre a trajetória do meia

Daniel foi encontrado morto em São José dos Pinhais (PR), na manhã do último sábado. O corpo do atleta tinha sinais de tortura, com o pescoço quase decapitado e a genitália arrancada. A Polícia Civil trabalha com a hipótese de crime passional.

Daniel chegou ao São Paulo em dezembro de 2014. Antes de estrear, em setembro do ano seguinte, o atleta se recuperou de uma lesão nos ligamentos do joelho direito. Em 2017, foi emprestado ao Curitiba e depois à Ponte Preta. O jogador, então com 24 anos, havia chegado ao São Bento em junho.

Curta a página de Esportes do R7 no Facebook

Arte R7

Pelo Botafogo, Daniel viveu melhor momento da carreira em 2014

    Access log