Campeonato Brasileiro

Futebol São Paulo cogita anulação de jogo; Diniz vê VAR 'prejudicando futebol'

São Paulo cogita anulação de jogo; Diniz vê VAR 'prejudicando futebol'

Árbitro chegou a confirmar gol e reinício de partida, mas depois voltou atrás e anulou. Raí diz que pretende conversar com a CBF para entender decisão

Agência Estado - Esportes
Fernando Diniz ficou na bronca com gol anulado do São Paulo

Fernando Diniz ficou na bronca com gol anulado do São Paulo

João Dijorge/Photo Press/Folhapress 25.11.20

O diretor executivo de futebol do São Paulo, Raí, afirmou que vai pedir explicações à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) sobre o polêmico lance durante o empate por 1 a 1 com o Ceará e não descartou pedir a anulação da partida disputada nesta quarta-feira. O jogo era adiado da 16ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O atacante Pablo marcou o segundo gol da equipe tricolor, mas estava em posição de impedimento e o assistente levantou a bandeira. O VAR, porém, validou o gol. Depois, quando o jogo já havia recomeçado, o VAR voltou atrás e confirmou o impedimento. A regra diz que, se o jogo for reiniciado, um lance não pode mais ser revisado.

"A única certeza é de que aconteceu um erro absurdo, erro de direito, e que traz todas as dúvidas do mundo. Vamos buscar os questionamentos. Buscar saber por que validou o gol e depois por que voltou atrás. É o 'bê-á-bá', a partida reiniciou. Acaba tirando a credibilidade da nossa arbitragem", afirmou Raí, que admitiu a possibilidade de pedir a anulação do jogo.

"Vamos estudar todas as possibilidades jurídicas. Vamos buscar tudo que aconteceu. Se foi validado é porque tinha dúvida. O erro é o que aconteceu quando autorizou a partida. Está na regra. O São Paulo tem que ir atrás dos seus direitos e esclarecer todas as dúvidas que ficaram no ar", disse o dirigente.

Raí lembrou o erro assumido pela CBF no jogo entre São Paulo e Atlético-MG, também pelo Brasileirão. Na ocasião, Luciano abriu o placar para o time tricolor no Mineirão, mas o VAR anulou o gol por impedimento. O atacante, entretanto, estava em posição regular.

"É o segundo erro absurdo, o primeiro já assumido, e o segundo que obviamente vai ser também. Vamos estudar as possibilidades jurídicas. Primeiro vamos saber por que isso aconteceu", disse Raí.

O técnico Fernando Diniz também mostrou insatisfação com o uso do árbitro de vídeo. Para o treinador, o auxílio do VAR tem prejudicado o futebol brasileiro, especialmente o São Paulo: "Acho que é muito frustrante, o VAR veio para ajudar o futebol. Sou a favor desde que ele ajude. Na minha opinião, tem mais prejudicado, em especial o São Paulo, do que ajudado. O erro contra o Atlético-MG foi um absurdo. Hoje mais uma vez aconteceu um erro que não é de interpretação. Nem aquele nem esse. O que é interpretativo é se foi gol ou não. O erro de voltar atrás não poderia ter cometido de maneira alguma", comentou o treinador.

"O VAR não está fazendo bem, tira a autoridade do árbitro. O árbitro deveria ter ido ver, porque é um lance interpretativo. Não é se estava impedido ou não, é se começou uma nova jogada ou não no desvio. Repito: o VAR não está fazendo bem ao futebol e de maneira especial está prejudicando o São Paulo em muitos jogos", esbravejou Diniz.

O lance polêmico ocorreu aos 12 minutos do segundo tempo, quando a partida estava empatada por 1 a 1. No primeiro lance, Luan chutou de fora da área, a bola desviou no zagueiro do Ceará e depois em Pablo, que estava impedido. Na sequência, Luciano finalizou e Pablo, em posição regular, aproveitou o rebote do goleiro Richard e marcou.

Maradona: veja as homenagens recebidas pelo craque argentino

Últimas