Santos não é único adversário do Santo André na volta do Paulista

Com parada devido à pandemia, líder do Estadual perdeu 11 jogadores por fim de contrato e estádio Bruno José Daniel virou hospital de campanha

Paulo  Roberto remontou Santo André para volta

Paulo Roberto remontou Santo André para volta

Divulgação Esporte Clube Santo André

O Santo André que entra em campo nesta quarta-feira (22), contra o Santos, na Vila Belmiro, às 19h15, definitivamente não é o mesmo que até antes da parada do Paulista, em 16 de março, tinha a melhor campanha da competição, com 19 pontos.

Na paralisação causada pela pandemia do novo coronavírus, o time perdeu 11 atletas com contratos encerrados. Além de não poder jogar no estádio Bruno José Daniel, onde atualmente tem instalado um hospital de campanha.

Para tentar solucionar a falta de jogadores, o time do ABC Paulista contratou quatro atletas: o goleiro Ivan, o zagueiro Willian Goiano e o atacante Raphael Lucas e o meio-campo Vitinho Carioca. “Tentamos repor algumas peças. É o retorno de uma competição curta e não é fácil negociar um contrato de um mês com atleta. Conseguimos quatro. Temos a consciência que não vai ser a mesma coisa”, explica Paulo Roberto, técnico do time do Ramalhão.

O treinador sabe que todos os times estarão diferentes, já que foram mais de 120 dias sem atividades, mas não dá para dizer que todos sofrerão igual. “O problema atinge a todos, mas o fato de manter o elenco, o time já está melhor que os outros. Independentemente do tamanho da equipe, se grande ou pequena. Não ter que remendar ou reformatar o time novamente é um ganho”, afirma o treinador.

Além das contratações, o time inscreveu outros oito atletas das categorias de base para completar o elenco. 

Hospital de campanha montado no Bruno José Daniel

Hospital de campanha montado no Bruno José Daniel

Reprodução Instagram @santoandreabc

Casa ocupada 

Sem o estádio Bruno José Daniel a diretoria precisou buscar lugar para jogar e treinar. O estádio do Canindé foi o local escolhido para disputar as partidas. Na casa da Portuguesa, o Santo André vai receber o Ituano, no domingo, às 16h.

“É uma perda grande não jogar em casa, porque conhecemos o gramado de trabalhar diariamente lá. É diferente de chegar no lugar só para o jogo”, diz o treinador.

Por isso, o clube estuda levar o elenco para fazer um reconhecimento do gramado do Canindé, mas Paulo Roberto reconhece a dificuldade, já que não está concentrado no ABC de São Paulo.

Sem lugar para treinar, o elenco foi levado no dia 30 de junho a um hotel fazendo em Vargem, cidade que fica há cerca de 100 km de São Paulo.

“Juntou a necessidade com a pandemia. Não tínhamos como treinar no Bruno José Danil e precisávamos ficar isolados para correr menos risco de infecção”, conta Paulo.

Quatro jogadores estão afastados por causa da  covid-19

Quatro jogadores estão afastados por causa da covid-19

Divulgação Esporte Clube Santo André

Volta contra o Santos

Quatro atletas do elenco estão em isolamento social por estarem infectados com a covid-19. Mas não pense que todos esses problemas indicam que o Santos vai encontrar uma presa fácil na volta do Paulistão.

“O Santos é uma das equipes que brigam pelo título. Todo jogo contra equipe considerada grande é sempre muito difícil. Sabemos a qualidade, respeitamos, mas temos condições mesmo com todos os problemas de garantirmos nossa classificação. Ai, pensamos no resto”, garante o treinador.

O Santo André é líder do Grupo B, o mesmo do Palmeiras, tem 19 pontos ganhos e um empate garante o time nas quartas de final do Paulistão.

Curta a página do R7 Esportes no Facebook.

Com saída de Dudu, quem se tornou o jogador mais bem pago do Brasil?