Campeonato Brasileiro

Futebol Retorno de Ceni anima São Paulo em busca de reação no Brasileirão

Retorno de Ceni anima São Paulo em busca de reação no Brasileirão

Tricolor vem de sequência de empates no campeonato e só a vitória interessa contra o Ceará, nesta quinta-feira (14)

Agência Estado - Esportes
Rogério Ceni fará sua reestreia pelo São Paulo nesta quinta-feira, contra o Ceará

Rogério Ceni fará sua reestreia pelo São Paulo nesta quinta-feira, contra o Ceará

Reprodução/Twitter - Rubens Chiri / saopaulofc

O São Paulo começa nesta quinta-feira (14) a sua trajetória sem Hernán Crespo e dá início, ao mesmo tempo, a nova "era Ceni". O clube anunciou na quarta a saída do treinador argentino após 53 partidas e no mesmo dia trouxe de volta o ídolo Rogério Ceni após quatro anos. Sem tempo a perder, o ex-goleiro já quis iniciar sua segunda passagem como técnico no Morumbi diante do Ceará, às 19h, em casa, em duelo que encerra a 26ª rodada do Brasileirão.

O desafio imediato é quebrar a série de empates e abrir distância da zona de rebaixamento. O São Paulo disse que abriu imediatamente à saída de Crespo, feita em comum acordo, "um processo de busca no mercado pelo novo treinador." Essa busca foi bastante rápida. Rogério Ceni, ídolo tricolor, recebeu a proposta minutos após o argentino perder o emprego e, segundo o presidente Julio Casares, não precisou de mais de 15 minutos para acertar essa volta para casa.

De acordo com o mandatário, o treinador encarou o convite como uma "convocação". Ceni teve primeiro contato com o elenco são-paulino assim que chegou e não quis esperar. Preferiu já comandar a equipe diante do Ceará nesta quinta. "Até por se sentir em casa, ele quis começar o trabalho imediatamente", disse Casares. O nome do treinador foi publicado no BID da CBF às 18h49 da quarta. Por isso, está regularizado para fazer sua reestreia no Morumbi.

O treinador comandou o São Paulo pela primeira vez em 2017, menos de dois anos depois de encerrar sua carreira de jogador. Ficou sete meses no cargo e foi dispensado em julho daquele ano. Naquele momento, o time estava na zona de rebaixamento do Brasileirão e não ganhava havia seis jogos.

Fugir da zona perigosa

A primeira missão do ex-goleiro em sua nova oportunidade no comando são-paulino é quebrar a série de cinco empates no Brasileirão. Isso ajudará o time a se afastar do grupo do descenso e, quem sabe, levá-lo à briga por vaga na Libertadores. O clube paulista quer voltar a vencer para evitar uma marca negativa que seria inédita. Nunca, em sua história, empatou seis jogos seguidos no Brasileirão ou em qualquer torneio.

O time é o segundo que mais empatou neste Brasileirão, com 12 igualdades. E essa sequência somando um ponto por partida impede que a equipe saia da briga na parte debaixo da tabela. São 30 pontos conquistados e o risco de queda ainda assombra o elenco.

E a reação terá de vir sem Rigoni. O principal atacante do elenco sentiu dores musculares na coxa esquerda diante do Cuiabá e acabou vetado. Preterido por Crespo, que preferiu improvisar Igor Gomes na lateral direita, o colombiano Orejuela, por sua vez, voltou a ser relacionado. Ele é o único lateral-direito disponível no grupo no momento.

Igor Vinícius ainda está fora de combate e Galeano, que vinha atuando improvisado, se recupera de um trauma no tornozelo direito. Vitor Bueno também retorna e deve começar como opção entre os reservas. Como teve pouquíssimo tempo para conhecer o elenco, é improvável que Ceni promova muitas mudanças. Deve manter a base que vinha jogando.

'Dança das cadeiras': Crespo é o 15º técnico demitido no Brasileirão

Últimas