Futebol Relatório final confirma falta de combustível como causa da queda do avião da Chapecoense

Relatório final confirma falta de combustível como causa da queda do avião da Chapecoense

Relatório final confirma falta de combustível como causa da queda do avião da Chapecoense

Lance
Lance

Lance

Lance

A investigação sobre a queda do avião da Chapecoense chegou em seu relatório final nesta sexta-feira. A tripulação do voo 2933 da Lamia cogitou risco de término do combustível duas horas antes da queda, divulgado pela Aeronáutica Civil da Colômbia. A falta de combustível foi a causa para o acidente aéreo, que matou 71 pessoas, em que a maioria fazia parte da delegação do clube catarinense, que disputaria a final da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional.

Segundo os cálculos mostrados pelo Coronel Miguel Camacho, que chefiou o grupo de investigação de acidentes colombiano, eram necessários pelo menos 11,6 mil quilos de combustível para completar a rota entre Santa Cruz de La Sierra e Medellín em segurança. O tanque da aeronave, por sua vez, comportava apenas 9,3 mil quilos.

- Era obrigatório que se fizesse uma escala. Ninguém da tripulação tomou a decisão de aterrissar para abastecer. Era a única maneira de seguir ao destino final de maneira segura — afirmou Camacho.

Ainda segundo o coronel, 40 minutos antes do acidente, a luz de emergência de combustível já havia acendido. A tripulação, neste momento, deveria ter informado a situação à torre de controle e realizado um pouso no aeroporto mais próximo. Nesta situação, o aeroporto de Bogotá estava a 142 quilômetros de distância, o que seria suficiente para um pouso seguro.

- A emergência só foi declarada três minutos e quinze segundos antes do acidente. Isso deveria ter sido feito pelo menos 30 minutos antes - disse.

A Aeronáutica Civil colombiana reforçou que o relatório final não se destinou a apontar culpados para que sejam punidos, mas esclarecer as circunstâncias do acidente.

SITUAÇÃO DA LAMIA
​O Coronel, que investigou a companhia de avião, confirmou que a Lamia não estava atuando dentro das políticas internacionais de combustíveis e que voava decorrentemente com níveis muito baixo.

POSIÇÃO DA CHAPECOENSE
​O Departamento Jurídico da Associação Chapecoense de Futebol está analisando o relatório final da Aeronáutica Civil da Colômbia sobre o acidente com o avião da LaMia. Em breve o clube se manifestará através de nota oficial sobre o caso.

Últimas