Rebaixada, Chape evitaria Série B se aceitasse acordo depois da tragédia

Quando a delegação sofreu acidente de avião, outros clubes fizeram proposta para que time não descesse de divisão. Catarinenses recusaram

Jogador da Chapecoense lamenta derrota para o Botafogo

Jogador da Chapecoense lamenta derrota para o Botafogo

LIAMARA POLLI/AM PRESS & IMAGES/ESTADÃO CONTEÚDO

O "conto de fadas" chegou ao fim. Com a derrota por 1 a 0 na última quarta-feira (27) para o Botafogo, a Chapecoense foi rebaixada no Campeonato Brasileiro pela primeira vez em sua história. O clube, que estreou na elite do futebol do Brasil em 2014, sempre conseguia se livrar de ter que voltar a disputar a segunda divisão. O descenço veio quase três anos após a tragédia de avião que vitimou 71 pessoas.

O rebaixamento para a Série B em 2019 poderia ter sido evitado também fora de campo. Isso porque três anos atrás, na madrugada do dia 28 para 29 de novembro, no acidente que vitimou 71 pessoas — entre jogadores, comissão técnica, diretoria e também pessoas da imprensa na Colômbia, na véspera da final da Copa Sul-Americana — os principais clubes do Brasil iniciaram um movimento para reerguer a Chape e, além da cessão de jogadores emprestados gratuitamente, foi proposto que os catarinenses não poderiam ser rebaixados do Brasileirão nas três edições seguintes do torneio.

Para isso, teria que ser incluída no Regulamento Específico do Campeonato Brasileiro, que normalmente é publicado em dois meses antes do início do torneio, essa condição. Mas isso não aconteceu, já que a ideia foi recusada pelo clube.

Caso fosse aceita, ela teria como prazo final justamente a edição de 2019 do torneio nacional. E se em 2017 e 2018 a Chapecoense não precisaria do benefício, já que somou 54 e 44 pontos, respectivamente, na atual temporada, o time, com apenas 28 pontos somados em 35 rodadas, não tem mais como escapar da Série B.

Na ocasião, o então presidente Plínio David de Nês Filho chegou a dizer que a situação era "constrangedora" e que "ficaria desconfortável" em aceitar a ajuda, que faria com que o clube que ficasse na 16ª colocação, atualmente o Ceará, fosse rebaixado, enquanto a Chape se livraria e se manteria na elite do futebol brasileiro.

Já rebaixada, a Chapecoense ainda tem alguns compromissos na Série A. Nas últimas três rodadas, a equipe encara o Santos, o CSA e o Vasco, no dia 8 de dezembro.

Veja quem são os dez artilheiros da era dos pontos corridos do Brasileiro