Corrupção na Fifa
Futebol Preso, ex-cartola do Barça diz nunca ter pago comissão a Ricardo Teixeira

Preso, ex-cartola do Barça diz nunca ter pago comissão a Ricardo Teixeira

Detido desde maio de 2017, Sandro Rosell também atacou Romário em caso que envolveu CPI do futebol e problemas em relação ao passado

sandro rosell

Sandro Rosell, quando presidente do Barcelona

Sandro Rosell, quando presidente do Barcelona

Reprodução/FCB

O ex-presidente do Barcelona, Sandro Rosell concedeu à rádio RAC1 uma rara entrevista desde sua prisão, há 637 dias, em que diz nunca ter pago qualquer comissão ao ex-presidente da CBF, Ricardo Teixeira, e ainda detonou Romário, afirmando que o Baixinho teria enviado um documento mentiroso à Justiça espanhola por questões pessoais do passado.

O cartola, que também é empresário, foi preso em maio de 2017, após investigações conduzidas pelo FBI, nos Estados Unidos, sobre seu possível envolvimento de suas empresas em contratos com a CBF. O órgão americano o acusa de ter desviado cerca de 15 milhões de dólares para contas secretas de Teixeira, que segue em liberdade.

“Nunca paguei nenhuma comissão a Ricardo Teixeira. Mesmo se tivesse pagado não aconteceria nada também, porque é algo legalizado no Brasil, mas insisto que não paguei nenhuma comissão”, afirmou Rosell, que hoje tem 54 anos.

COSME: Flamengo faturará R$ 750 milhões. E pechincha indenização aos mortos

Ele explica acordos que ajudou a negociar para uma empresa chamada ISE junto à CBF e outras confederações para a compra de direitos de transmissão, que até então pertenciam à Traffic, empresa então presidida pelo brasileiro J. Hawilla, que, em 2015 se tornou um dos principais delatores do escândalo de corrupção da Fifa.

O ex-dirigente do clube azul-grená, que também foi representante da Nike no Brasil, ainda retrucou acusações feitas por Romário, que comandou uma comissão que investigou as irregularidades envolvendo a CBF. O ex-atacante afirmou, na CPI, que Rosell e Teixeira teriam faturado dinheiro ilegalmente com amistosos envolvendo a seleção canarinho.

“Romário mentiu", afirmou Rosell, referindo-se ao fato de o senador ter enviado à Justiça espanhola um parecer escondendo 15 senadores que teriam discordado da versão do Baixinho.

Segundo ele, o ex-jogador teria enviado a denúncia "porque quer ser presidente da CBF e porque, em 2002, depois que Scolari o deixou de fora da Copa, veio me pedir para fechar um acordo de patrocínio de embaixador da Nike e lhe disse que não. Mais tarde, quando eu era presidente do Barça, pediu que eu contratasse seu filho para o Barça B. Disse aos treinadores que avaliassem o jovem e me disseram que não valia a pena. Quando disse a Romário que não, ele se zangou comigo.”

Sandro Rosell tem julgamento marcado para o dia 25 de fevereiro, na Espanha.