Tragédia no Flamengo
Futebol Prefeitura diz que não permitiu uso dos contêineres como dormitórios

Prefeitura diz que não permitiu uso dos contêineres como dormitórios

Secretaria de Urbanismo informou que o Flamengo tinha autorização para construção dos prédios no Ninho do Urubu, mas não da utilização

Centro de treinamento do Ninho do Urubu, na Zona Oeste do Rio

Centro de treinamento do Ninho do Urubu, na Zona Oeste do Rio

Ricardo Moraes/Reuters - 8.2.2019

A Prefeitura do Rio de Janeiro afirmou na tarde deste domingo (10) que não autorizou o uso dos contêineres do Ninho do Urubu como dormitórios. A nota oficial desmente o pronunciamento de Reinaldo Belotti, CEO do Flamengo, dado no último sábado sobre o incêndio que matou dez jovens atletas no centro de treinamento do clube. 

O dirigente afirmou que o alojamento tinha a certificação do Conselho Municipal da Criança e do Adolescente e da CBF como clube formador de atletas. A prefeitura argumentou que a entidade citada por Belotti é um órgão independente e não é vinculado ao poder público. 

A nota esclareceu também que nenhum órgão pode autorizar o funcionamento de dormitórios sem que seja o Corpo de Bombeiros. "O prédio e o contêiner não possuem certificado de autorização dos Bombeiros. Portanto, não estava apto a operar. Nenhum outro órgão fiscalizador - seja da União, Estado ou Município - tem o poder de usurpar esta atribuição do Corpo de Bombeiros", informou a prefeitura. 

A Secretaria Municipal de Urbanismo esclareceu que estava autorizada a construção dos prédios no Ninho do Urubu, mas não como eles seriam utilizados. A licença da construção tinha validade até março deste ano. 

Para conseguir a licença de construção dos dormitórios, o Flamengo deveria ter entregue quatro documentos: projeto de arquitetura; comprovação das dimensões do imóvel; comprovante de quitação do IPTU, referente ao exercício anterior e declarações de Profissional Responsável pela Obra (PREO) e do Profissional Responsável pelo Projeto de Arquitetura (PRPA). 

Como o clube não apresentou nenhuma documentação dos contêiners, a prefeitura vai abrir uma investigação e o Flamengo vai ter de responder pelo funcionamento dos alojamentos. 

A prefeitura justificou que não fez a vistoria do Ninho do Urubu, porque o Flamengo ainda não tinha pedido o habite-se (documento que permite a utilização do imóvel) e a fiscalização só acontece depois deste pedido. A outra possibilidade de verificação é a partir de denúncia, o que não tinha acontecido no CT do Rubro-Negro. 

A Secretária Municipal da Fazenda também confirmou que não tinha dado o alvará de funcionamento do CT que pegou fogo na última sexta-feira. 

Curta a página do R7 Esportes no Facebook. 

Torcedores homenageiam vítimas de tragédia na sede do Flamengo