Para Réver, Atlético-MG perdeu no Morumbi porque cometeu 2 erros na saída de bola

A estratégia armada pelo técnico Vagner Mancini, do Atlético-MG, para segurar o São Paulo era primeiro marcar e depois usar a velocidade nos contra-ataques. Essa alternativa de jogo até funcionou no primeiro tempo, mas desmoronou em apenas 11 minutos da etapa final quando saíram os dois gols do time paulista. Coube aos jogadores mineiros apenas lamentar a derrota.

"Eu acho que teve muito respeito (ao adversário). A gente poderia ter aproveitado melhor o momento do São Paulo, que não vive uma fase tão boa. Dois erros de saída de bola atrapalharam nosso objetivo. A gente não estava criando, mas a equipe deles também não estava criando tanto. Em duas bolas, eles resolveram a partida. Agora é pensar no próximo jogo", disse o capitão atleticano, que foi quem mais falou ainda na saída do gramado.

"Não podemos jogar somente em ligação direta. É preciso movimentação, troca de passes e velocidade. Não podemos oscilar tanto, principalmente jogando bem em casa e indo mal fora. Fiquei feliz em jogar, mas triste por perder", completou Réver, que durante a semana teve a sua escalação ameaçada por causa de um desgaste muscular.

O goleiro Cleiton evitou comentar as falhas nas saídas de bola e dividiu a responsabilidade da derrota com todo o grupo. "O grupo todo deve buscar a vitória. A gente queria a vitória ou, pelo menos, um ponto e não conseguimos. Agora temos de somar três pontos em casa diante da Chapecoense", projetou o jogador, se referindo ao duelo da próxima quarta-feira, em Belo Horizonte, pelo Brasileirão.

O meio-campo Vinícius reforçou que a estratégia só funcionou numa parte do jogo. "A gente sabia bem do estilo de jogo do Fernando Diniz de atacar sempre, por isso, preferirmos entrar mais recuados e preocupados com a marcação. No primeiro tempo ainda chegamos duas ou três vezes com perigo, mas depois os gols saíram rápido no começo do segundo tempo e nos atrapalharam. Ficamos sem chances de recuperação", analisou.

O meia-atacante Luan, por sua vez, estava desconsolado com a derrota. "Parecia que o jogo estava sob controle, mas não podemos tomar aquele primeiro gol, numa falha nossa. Daí saiu o segundo gol quase em seguida e ficamos sem reação", criticou.

O foco do Atlético agora será o jogo com a Chapecoense, quarta-feira, às 19h30, no Estádio Independência. A esperança é que o time volte a jogar bem, como fez na vitória sobre o Santos, por 2 a 0, na rodada anterior do Brasileirão.