Futebol Palmeiras perde pênalti e empata com Bahia na Copa do Brasil

Palmeiras perde pênalti e empata com Bahia na Copa do Brasil

Time alviverde apenas empatou em 0 a 0, nesta quinta (2), em Salvador. Em lance que originou pênalti perdido, árbitro consultou VAR para retirar cartão

Bruno Henrique perdeu pênalti e árbitro reviu expulsão após consultar VAR

Bruno Henrique perdeu pênalti e árbitro reviu expulsão após consultar VAR

MARCELO MALAQUIAS/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO - 2.8.2018

Bahia e Palmeiras empataram em 0 a 0, nesta quinta-feira (2), na Arena Fonte Nova, em Salvador, pela primeira partida entre as equipes pelas quartas de final da Copa do Brasil. O jogo foi marcado pelo nervosismo, especialmente no segundo tempo. O time alviverde perdeu uma cobrança de pênalti, feita por Bruno Henrique, no lance que teve a primeira decisão revista com o uso do VAR no Brasil.

Confira o minuto a minuto de Bahia x Palmeiras no R7 Esportes

O jogo da volta entre as duas equipes está marcado para o dia 16 de agosto, às 19h15, no Allianz Parque, em São Paulo.

Antes, o Palmeiras tem compromissos pelo Brasileirão e Copa Libertadores. No próximo domingo, o time alviverde joga contra o América-MG, em Belo Horizonte, pelo Nacional. Na quinta da semana que vem, a equipe brasileira enfrenta o Cerro Porteño, no Paraguai, pelas oitavas de final da Libertadores.

Já o Bahia enfrenta o Fluminense, também no domingo, pela 17ª rodada do Brasileirão, no Maracanã. Depois, na quarta-feira que vem, os baianos jogam contra o Cerro, no Uruguai, no duelo da volta pela segunda fase da Copa Sul-Americana. Em Salvador, o Bahia venceu por 2 a 0.

O jogo

O Palmeiras, que tinha o auxiliar Paulo Turra comandando a equipe no banco de reservas — Felipão deve estrear na partida contra o América Mineiro, no domingo que vem —, quase abriu o placar no primeiro minuto.

Moisés iria passar para Deyverson, que estava impedido, mas a bola bateu na zaga e sobrou para Dudu. O atacante palmeirense corria livre pela esquerda, chutou forte e rasteiro, mas o goleiro Anderson defendeu.

O time alviverde seguiu pressionando o Bahia em seu campo nos primeiros minutos da partida. Aos 6, Moisés lançou na área pela esquerda e Deyverson dividiu com o goleiro do time baiano, que conseguiu afastar o perigo.

Menos de um minuto depois, Dudu desceu em velocidade pela esquerda e bateu firme para o gol, mas Anderdon fez boa defesa.

O Bahia só conseguiu uma jogada de ataque quase aos 8 minutos, quando Edigar Junio chegou à linha de fundo e cruzou, mas foi bloqueado pela zaga palmeirense.

Aos 14 minutos, Deyverson, muito questionado por grande parte da torcida, mas prestigiado pela nova gestão de Luiz Felipe Scolari, quase marcou um golaço.

Curta a página do R7 Esportes no Facebook

Livre de marcação na área, o atacante deu uma bicicleta ao receber um cruzamento de Dudu. A bola passou muito perto da trave direita de Anderson.

No lance seguinte, o Bahia levou perigo com uma bola alçada na área do Palmeiras. O goleiro Wewerton teve que sair de soco para afastar o perigo.

Aos 18 minutos, Zé Rafael sofreu falta praticamente no bico direito da área adversária. Ele mesmo bateu e a bola passou raspando a trave superior de Wewerton.

O Palmeiras quase marcou aos 20 minutos, depois de uma confusão na área do Bahia, Felipe Melo e Antônio Carlos, que estavam na área para aproveitar a cobrança de um escanteio, tentaram aproveitar o rebote do goleiro. Mas Anderson conseguiu tirar a bola dos palmeirenses.

Aos 25 minutos, o lateral-direito Marcos Rocha chegou até a linha de fundo e cruzou para Deyverson. O atacante chutou prensado e a bola saiu em escanteio para a equipe paulista.

O Bahia perdeu a melhor oportunidade de inaugurar o marcador na partida até ali aos 28 minutos. Moisés perdeu a bola no ataque, Zé Rafael dominou e disparou em altíssima velocidade. O meia passou para Gilberto, que estava completamente livre e acompanhava a jogada, mas o atacante chutou torto e perdeu o gol.

A equipe da casa conseguiu ganhar as ações no meio de campo, mas procurava as bolas aéreas para tentar vencer a zaga do Palmeiras, enquanto o time paulista usava a velocidade para surpreender os adversários.

Nos últimos 10 minutos do primeiro tempo, o Bahia envolveu o Palmeiras e criou alguns bons lances. Aos 43, o meio-campista Vinícius bateu falta, mas Wewerton fez boa defesa. O zagueiro Edu Dracena ainda usou a cabeça para salvar o time alviverde de sofrer o gol aos 46 minutos.

Segundo tempo

Na volta do intervalo, o Bahia levou perigo logo aos 50 segundos de jogo. Mena cruzou da esquerda e Gilberto cabeceou sozinho, mas errou o alvo.

Aos 5 minutos, Edigard Junio recebeu na entrada da área, levou o lance para o lado direito, girou e chutou forte. A bola passou perto da trave superior de Wewerton, que apenas acompanhou o lance.

Dois minutos depois, o atacante palmeirense Willian sentiu uma contusão muscular — ocorrida em um lance já no segundo tempo — e pediu para ser substituído. O jovem Arthur entrou no time paulista.

Aos 9 minutos, o zagueiro Gregore quase fez um gol contra. Depois de batida de falta da intermediária, feita por Diogo Barbosa, a bola viajou até a segunda trave. O jogador do Bahia, na intenção de desviar para escanteio, cabeceou para o gol e obrigou Anderson a se esticar para evitar o prejuízo.

Pouco depois, o Bahia desceu em um contra-ataque muito rápido, puxado por Edigar Junio. O atacante passou para Vinícius, que foi derrubado por Felipe Melo a um passo da grande área.

Os jogadores do time tricolor baiano pediram pênalti, mas o árbitro Anderson Daronco estava muito seguro da marcação. Na cobrança, Gilberto chutou forte, mas a bola explodiu na barreira.

Aos 15 minutos, a defesa palmeirense fez uma lambança que quase resultou no primeiro gol do Bahia. O atacante baiano Edigar Junio chutou cruzado da direita, Wewerton foi mal no lance e deu rebote.

Porém, Antônio Carlos se atrapalhou e, ao invés de deixar o goleiro recuperar a bola, tentou tirar da área e por pouco não entregou para o adversário.

Na sequência da jogada, Elton dominou do lado esquerdo do ataque e bateu com muito perigo. Wewerton fez grande defesa, mas deu novo rebote. Desta vez, a defesa do Palmeiras bloqueou bem e afastou o perigo.

O Palmeiras tentava surpreender no contra-ataque e, aos 24 minutos, Arthur foi derrubado dentro da área por Gregore, que foi expulso de campo. 

A jogada começou com Dudu, que encontou Arthur entrando livre na área e tocou. O meia palmeirense foi empurrado pelo atleta do Bahia. 

No entanto, Daronco ouviu a equipe do VAR da CBF e, após mais de três minutos, retirou o cartão vermelho de Gregore e aplicou o amarelo. Do início da jogada até a cobrança do pênalti se passaram mais de cinco minutos.

VAR foi usado pela 1ª vez no Brasil

VAR foi usado pela 1ª vez no Brasil

ROMILDO DE JESUS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO – 2.8.2018

Em 1º uso do VAR no Brasil, árbitro volta atrás em expulsão do Bahia

O volante Bruno Henrique — que marcou quatro gols nas últimas três partidas — soltou uma bomba, mas a bola explodiu na trave superior do goleiro Anderson.

Aos 44 minutos, o atacante Deyverson deu uma cotovelada no chileno Mena em uma jogada na lateral do gramado. O atleta do Bahia sofreu um corte no supercílio e o palmeirense foi expulso pelo árbitro Anderson Daronco.

O jogo ficou mais nervoso e tumultuado nos minutos seguintes. Devido às paradas para a consulta ao VAR e a expulsão de Deyverson, Daronco deu 9 minutos de acréscimos no segundo tempo.

Porém, as equipes não conseguiam mais criar jogadas ofensivas. No fim, o empate sem gols prevaleceu em uma partida muito disputada e deixou a decisão da vaga às semifinais da Copa do Brasil para São Paulo.

Ficha Técnica
BAHIA 0 x 0 PALMEIRAS
2/8 – Arena Fonte Nova (Salvador)
Árbitro:
Anderson Daronco (Fifa); Público: 27.296 pessoas (27.014 pagantes); Cartões Amarelos: Diogo Barbosa, Felipe Melo (Palmeiras); Zé Rafael, Bruno, Tiago, Gregore (Bahia); Cartão Vermelho: Deyverson (Palmeiras).
PALMEIRAS: Wewerton; Marcos Rocha, Antônio Carlos, Edu Dracena e Diogo Barboza; Felipe Melo, Bruno Henrique e Moisés (Gustavo Scarpa, aos 18 do 2º); Willian (Arthur, aos 7 do 2º), Deyverson e Dudu (Thiago Santos, aos 37 do 2º). Técnico: Paulo Turra.
BAHIA: Anderson; Bruno, Tiago, Lucas Fonseca e Mena; Gregore, Elton, Vinícius, Edigar Junio (Marco Antônio, aos 35 do 2º) e Zé Rafael (Élber, aos 49 do 2º); Gilberto. Técnico: Enderson Moreira.

Mercado da Bola: as novidades dos clubes na retomada do Brasileirão

    Access log