caso daniel
Futebol Jovem que acompanhou Daniel na noite do crime dá sua versão 

Jovem que acompanhou Daniel na noite do crime dá sua versão 

Em entrevista ao programa Balanço Geral SP, da RecordTV, testemunha que estava com Daniel desmente as declarações da filha de suspeito

nova testemunha

Testemunha diz que Daniel foi convidado para festa na casa onde foi espancado

Testemunha diz que Daniel foi convidado para festa na casa onde foi espancado

Divulgação do SPFC

Na manhã desta segunda-feira (5), mais uma testemunha sobre o caso do assassinato do jogador Daniel falou para o programa Balanço Geral, da RecordTV.

A testemunha, que já prestou depoimento à polícia em São José dos Pinhais (PR), era amiga da aniversariante e tinha ficado com Daniel na boate Shed, no bairro do Batel, em Curitiba, onde foi a comemoração dos 18 anos da filha do suspeito Edison Brittes

Veja mais: Novas mensagens reforçam que Allana conhecia família de Daniel

A jovem desmentiu a aniversariante e afirmou que Daniel também havia sido convidado para ir na continuação da festa na casa em que ele foi espancado.

Veja mais: Caso Daniel: polícia do Paraná ouve suspeitos de participação no crime

"Ele conhecia a Allana, tanto que foi ao aniversário dela um ano atrás. Depois da festa, os pais da Allana chamaram todos para irem na casa deles. Eles falaram: 'Pega um Uber e vão, que nós estamos indo'. Eu falei: 'Vai rolar mesmo, é firmeza?' Eles falaram: 'Vai!'. Então, fechou. Pegamos um Uber... O Daniel chegou no nosso carro e perguntou: 'Pra onde vocês estão indo?' Eu respondi: 'Para a casa da Allana.' Ele respondeu: 'Eu também vou'. O menino que estava no carro com a gente falou que não tinha lugar no carro. Um menino falou: 'Tem um outro Uber.' E ele foi. Com quem ele foi? Comigo, um menino e outra menina." 

Veja mais: Lesões do futebol ajudaram família a identificar corpo de Daniel Corrêa

A testemunha também afirmou que Daniel ainda estava vivo quando foi levado no porta-malas do carro

"O Daniel estava vivo quando saiu da casa. Como você sabe? Por que pelo que a gente viu ele ainda estava respirando. Tanto é que os meninos falaram: para de bater nele. Ele já está morto. Daí a gente olhou e viu que ele estava respirando."

Veja mais: Caso Daniel: mãe de vítima acredita em crime premeditado

Na tarde desta segunda-feira (5), a Polícia Civil vai colher depoimentos de Edison Brittes, principal suspeito do assassinato; Cristiana Brittes, mulher do suspeito; e Allana Brittes, filha do casal.

Arte R7

Curta a página do R7 Esportes no Facebook

Pelo Botafogo, Daniel viveu melhor momento da carreira em 2014: