Futebol Jornal: Neymar comprou Porsche de forma irregular em 2011 e carro está apreendido desde 2014, afirma Receita

Jornal: Neymar comprou Porsche de forma irregular em 2011 e carro está apreendido desde 2014, afirma Receita

Segundo a Folha de S. Paulo, jogador ganhou o carro do pai após o Sul-Americano Sub-20

Jornal: em 2011, Neymar comprou Porsche de maneira irregular, afirma Receita Federal

Neymar tem uma Porsche Panamera; acima são 911 e Carrera 2016

Neymar tem uma Porsche Panamera; acima são 911 e Carrera 2016

Divulgação

A vida extra-campo do atacante Neymar não anda nada fácil. Após ter R$188 milhões bloqueados pela Justiça por sonegação de impostos, o craque agora está com uma outra dor de cabeça, que já é antiga, aliás. Durante o Sul-Americano Sub-20, disputado em 2011, o pai do craque duvidou que o filho fosse artilheiro da competição e fizesse dois gols na final. Animado com o desafio, o hoje jogador do Barcelona cumpriu o combinado e ganhou como presente um carro Porshe importado. O veículo, no entanto, está apreendido pela Receita Federal desde 2014.

Veja programas da Record na íntegra e no R7 Play!

De acordo com reportagem publicada nesta terça-feira (29) pelo jornal Folha de S. Paulo, os autos da Receita consideram ilegal o tramite realizado para trazer o carro importa ao Brasil. Na negociação, foram usadas empresas intermediárias para burlar burocracias e custos adicionais da importação.

O modelo do carro adquirido por Neymar pai é um Porsche Panamera amarelo, que foi comprado por uma companhia chamada Select Import. A empresa teria recebido R$ 60 mil para intermediar a chegada do veículo ao Brasil através da First S/A, que efetivamento comprou o carro e o importou. Só após todo esse tramite, no entanto, que  ele foi passado por R$ 349 mil à Neymar Sport e Marketing, empresa que cuida da imagem do craque da Seleção Brasileira.

Segundo a Receita Federal, esse tipo de negócio é usado para fugir da legislação aduaneira, pois a First não teria revelado um comprador interessado no veículo, sem contar que a empresa de Neymar não teria os documentos necessários para realizar a importação. De acordo com a assessoria de imprensa de Neymar, em contato feito pelo jornal, o negócio foi feito legalmente, pelo menos pelo lado do atleta, que não irá se pronunciar sobre o caso. Brigando na Justiça, o astro brasileiro conseguiu impedir que o carro, preso três anos após ser adquirido, fosse a leilão, mesmo que não haja, por parte dele, perspectiva de reaver seu Porshe.