Jogadores da Premier League vão usar máscara quando voltar futebol

Reunião entre clubes deve decidir como será retorno das atividades na Inglaterra e atletas também serão proibidos de cuspir em campo

Jogadores do Grêmio fazem protesto com máscara no começo da pandemia

Jogadores do Grêmio fazem protesto com máscara no começo da pandemia

Lucas Ubel/Divulgação Grêmi

As máscaras que foram usadas como forma de protesto pelos jogadores do Grêmio, no começo da pandemia do novo coronavírus, agora serão obrigatórias para atletas da Premier League durante os treinamentos. Essa é uma das decisões que devem ser tomadas na próxima sexta-feira (1), em reunião entre os clubes do Campeonato Inglês para decidir a volta do futebol na Inglaterra. 

A obrigatoriedade que também chama atenção na proposta que será feita ao governo Britânico é a proibição de cuspir nos campos de treinamentos e de partidas. Pode parecer estranho, mas os jogadores têm o hábito de cuspir muitas vezes durante as atividades.   

De acordo com o jornal 'Mirror', também será proposto que todos atletas e comissões passem por testes da covid-19 dois dias antes do retorno ao trabalho. A expectativa é que a volta seja gradativa já a partir da próxima semana e que a competição recomece na segunda quinzena de junho. 

Outras medidas também serão propostas, como: limpeza e desinfecção de todos os equipamentos dos centros de treinamentos dos clubes; os estacionamentos do jogadores deverão respeitar uma distância equivalente a três carros; as massagens nos atletas só serão feitas com aprovação de médicos. 

Sobre os treinos os clubes poderão agir da seguinte forma: inicialmente somente cinco atletas por vez participarão das atividades, que serão divididas em 15 minutos para aquecimento, 75 para treino e 15 para recuperação e os banheiros serão bloqueados só para o grupo em atividade.

Tudo isso deverá ser aprovado pelo primeiro-ministro da Inglaterra, Boris Johnson's. O governante já se mostrou favorável ao retorno do futebol, desde que com portões fechados. 

Também dependerá da aprovação do governo, a realização de testes nos envolvidos duas vezes por semana, enquanto a crise do novo coronavírus estiver grande. 

O médico da Premier League Mark Gillet foi o responsável pela criação das propostas e ele consultou outras ligas européias, como o Campeonato Espanhol e Alemão. 

Curta a página do R7 Esportes no Facebook.

Brasil é maior exportador de jogador no mundo, França vem em segundo