Jogadores da Copa de 1982 apoiam ações nas favelas contra a covid-19

Craques que representaram a seleção brasileira no Mundial da Espanha, em 1982, como Zico e Serginho Chulapa, gravaram vídeos por doações

Zico contra a Itália, em 1982

Zico contra a Itália, em 1982

Getty Images

Um dos times mais marcantes do futebol do País e mundial, a seleção brasileira de 1982 quer exercer influência também fora dos gramados. Os ex-jogadores que vestiram a camisa amarela na Copa do Mundo da Espanha gravaram diversos vídeos de apoio a uma campanha de doações para o combate da pandemia do novo coronavírus.

A iniciativa Mães da Favela, organizada pela ONG Central Única das Favelas (Cufa), está recebendo doações através de um fundo solidário para a luta contra a covid-19 em todas as regiões cobertas pela entidade. Participam dos vídeos Zico, Júnior, Serginho Chulapa, Careca, Falcão e Toninho Cerezo, além de outros craques daquela geração.

"A seleção brasileira de 1982 ficou conhecida pela criatividade, pela união e pelo trabalho coletivo. Pois agora, nós vamos entrar em campo de novo pelo nosso Brasil", diz Falcão, o responsável por abrir a gravação.

"A seleção de 82 e você, juntos contra o coronavírus", afirma Zico, que finaliza o vídeo. As doações de qualquer valor podem ser feitas através do site oficial da entidade (maesdafavela.com.br).

Segundo especialistas, o coronavírus pode ter uma maior impacto nas favelas, já que as pessoas costumam ter convívio muito próximo e podem não tomar acesso a todas as medidas preventivas necessárias.

No futebol, os campeonatos estaduais estão interrompidos por tempo indeterminado e diversos clubes estão dispondo de seus recursos para auxiliar quem mais precisa neste momento, seja cedendo espaços para hospitais de campanha ou realizando doações financeiras.