Futebol Governadores pediram respeito aos protocolos por Copa América

Governadores pediram respeito aos protocolos por Copa América

Brasília, Cuiabá, Goiânia e Rio de Janeiro receberão partidas da competição de seleções que vai de 13 deste mês até 10 de julho

  • Futebol | André Avelar, do R7

Depois de confirmadas as cidades-sede da Copa América, na última terça-feira (1º), os governadores das capitais envolvidas revelaram uma série de exigências para receber a competição de seleções sul-americanas. O respeito aos protocolos sanitários contra a covid-19, similares aos já utilizados nas Série A e B do Brasileirão, foi o pedido mais comum entre os políticos.

O governo federal e a Conmebol garantiram que a competição de dez seleções será disputada sem a presença de torcedores. O presidente Jair Bolsonaro atentou que os jogos de futebol estão em curso no país e, mais tarde, o presidente da Conmebol, Alejandro Dominguez, confirmou que protocolos sanitários rígidos serão alinhados com as autoridades.

“Estaremos realizando os jogos nessas cidades com toda a segurança possível, sem a presença do público, com protocolos sanitários rígidos e alinhados com as autoridades de saúde”, disse Dominguez.

A competição começará em 13 deste mês e irá até 10 de julho. A tendência é que o Mané Garrincha, em Brasília, e o Maracanã, no Rio, recebam respectivamente a abertura e a final da competição mais antiga de seleções. A tabela oficial do torneio ainda não foi anunciada.

Veja a seguir a repercussão com os governadores das cidades envolvidas na competição.

Brasília

Mané Garrincha, em Brasília, deve receber a partida de abertura, em 13 deste mês

Mané Garrincha, em Brasília, deve receber a partida de abertura, em 13 deste mês

Robert Ghement/EFE - 10/6/2014

A capital federal, cotada para receber a partida de abertura, no estádio Mané Garrincha, sempre esteve nos planos do governo federal e da CBF (Confederação Brasileira de Futebol). O governador Ibaneis Rocha disse que entrou em contato com a CBF para se certificar se haveria ou não a presença de público.

“Aguardamos a CBF nos mostrar o plano para a realização desses jogos. Pedimos para que as medidas sanitárias sejam respeitadas”, afirmou o governador, em evento de entrega de moradias populares.

Cuiabá

Arena Pantanal foi construída para a Copa do Mundo de 2014

Arena Pantanal foi construída para a Copa do Mundo de 2014

Mauricio Dueñas Castañeda/EFE - 23/6/2014

Estado da Arena Pantanal, construída para a Copa 2014 e que agora recebe os jogos do Cuiabá na Série A, o Mato Grosso será uma das sedes da Copa América. O governador Mauro Mendes ratificou sua opção pela ausência de público no estádio. O pedido foi aceito, mas ainda assim desagradou ao prefeito da capital, Emanuel Pinheiro, que entendia que a competição não deveria ser realizada.

“O gestor estadual questionou a presença de público durante os jogos, ao que a CBF garantiu que as partidas não contarão com público e todas as medidas de biossegurança serão cumpridas. Também não haverá nenhum custo para o estado. Será uma oportunidade para projetar o estado de Mato Grosso para fora do país”, diz trecho da nota do governo estadual.

Goiânia

Serra Dourada costuma receber seleção brasileira em Goiânia

Serra Dourada costuma receber seleção brasileira em Goiânia

Fernando Bizerra Jr./EFE - 30/7/2016

Ausente na Copa 2014 e na Copa América 2019, Goiás foi consultado para receber jogos da competição de seleções. O governador Ronaldo Caiado e o prefeito Rogério Cruz foram, desde o início, favoráveis à realização dos jogos se cumpridas inúmeras exigências. Nas redes sociais, Caiado explicou a ideia de “bolha, que protegesse atletas, arbitragem, comissão técnica, imprensa e todos os envolvidos direta e indiretamente com o processo”, prevendo inclusive vacinação para esses grupos.

“Qual a diferença se protocolos até mais rígidos serão tomados? É preciso pensar na saúde e ter coerência”, escreveu o governador.

Rio de Janeiro

Maracanã, no Rio, é cotado para receber a final da competição, em 10 de julho

Maracanã, no Rio, é cotado para receber a final da competição, em 10 de julho

Antonio Lacerda/EFE - 2/3/2021

O governador Claudio Castro e o prefeito Eduardo Paes chegaram a divergir sobre a realização dos jogos no Rio, provavelmente no Maracanã, cotado também para receber a final do torneio. Após uma reunião, prevaleceu o entendimento de que a expertise adquirida no jogos estaduais, nacionais e continentais (como na Sul-Americana e na Libertadores), era suficiente para receber também a competição de seleções.

“O Governo do Estado esclarece que os jogos de futebol, sem público, estão acontecendo no estado do Rio de Janeiro - inclusive competições sul-americanas, como a Copa Libertadores da América. A entrada e saída de estrangeiros e o funcionamento da rede hoteleira também estão autorizadas pelas autoridades sanitárias, desde que cumpridos todos os protocolos”, diz um trecho da nota enviada aos órgão de imprensa.

Quinta sede?

O presidente Bolsonaro deixou escapar que uma quinta cidade gostaria de receber a Copa América, mas se manifestou tardiamente. Ainda assim, sem dizer qual cidade, seria possível incluí-la na tabela de jogos.

Por meio da Fundação Amazonas de Alto Rendimento (Faar) informou à reportagem que caso seja notificada pela CBF, vai discutir os protocolos de prevenção à covid-19.

Arena da Amazônia poderia pintar como quinta sede da Copa América

Arena da Amazônia poderia pintar como quinta sede da Copa América

Chico Batata/Divulgação/Agecom

“Com os protocolos definidos, em comum acordo com o Comitê Estadual de Enfrentamento da Covid-19, os jogos deverão ser realizados com toda a expertise do Amazonas obtida ao sediar  grandes eventos esportivos”, diz a nota. “A presença de público também será discutida e dependerá dos indicadores da pandemia de covid-19 no estado.”

Ainda na segunda-feira, os estados da Bahia, Minas Gerais, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Rio Grande do Sul disseram que não tinham interesse em receber os jogos. São Paulo estava na lista entre os que queriam as partidas, mas voltou atrás.

Acusação de assédio e festinha são as novas polêmicas de Neymar

Últimas