Corrupção na Fifa
Futebol Empresário brasileiro confessou ter participado de conspiração para extorsão no esquema da FIFA

Empresário brasileiro confessou ter participado de conspiração para extorsão no esquema da FIFA

José Hawilla aceitou devolver R$ 479 milhões 

Empresário brasileiro reconheceu culpa por conspiração para extorção

José Hawilla, dono e fundador do Grupo Traffic a maior empresa de marketing esportivo da América Latina

José Hawilla, dono e fundador do Grupo Traffic a maior empresa de marketing esportivo da América Latina

Reprodução/ Youtube

Em dezembro de 2014, o empresário brasileiro José Hawilla, de 71 anos, dono e fundador do Grupo Traffic — conglomerado de marketing esportivo — foi indiciado e reconheceu culpa por conspiração para extorsão, fraude eletrônica, lavagem de dinheiro e obstrução da Justiça.

As acusações envolvendo o dirigente estão no relatório do Departemento de Justiça norte-americano apresentado nesta quarta-feira (27) que detalha o esquema de corrupção da FIFA.

O documento afirma que em um acordo fechado em dezembro do ano passado, Hawilla aceitou devolver R$ 479 milhões (151 milhões de dólares), sendo R$ 79 milhões (25 milhões de dólares) pagos no momento de sua confissão.

Três brasileiros entre os acusados de corrupção da Fifa

"A casa caiu": Escândalo de corrupção na FIFA domina noticiário internacional

Justiça bloqueia contas bacárias

A Justiça Federal da Suíça informou nesta quarta-feira (27) que bloqueou contas em diversos bancos no país após a polícia prender algumas das figuras mais poderosas do futebol mundial em casos de corrupção investigados na Suíça e nos Estados Unidos.

"Na sequência de três pedidos dos EUA de assistência jurídica, a Justiça Federal da Suíça também ordenou o bloqueio de contas em diversos bancos na Suíça, pelos quais os subornos possivelmente passaram, assim como a apreensão de documentos bancários relacionados", informou a Justiça em nota.