Futebol Eleito o melhor do Mundial, Cristiano Ronaldo comemora 'ano dos sonhos'

Eleito o melhor do Mundial, Cristiano Ronaldo comemora 'ano dos sonhos'

Português foi decisivo na decisão ao marcar três dos quatro gols do Real contra o Kashima

Eleito o melhor do Mundial, Cristiano Ronaldo comemora 'ano dos sonhos'

Cristiano Ronaldo foi decisivo na vitória contra o Kashima Antlers

Cristiano Ronaldo foi decisivo na vitória contra o Kashima Antlers

Toru Hanai/Reuters

Cristiano Ronaldo teve um ano dos sonhos, como ele próprio definiu neste domingo. Foi campeão da Eurocopa com a seleção de Portugal, faturou a Liga dos Campeões com o Real Madrid, recebeu o troféu Bola de Ouro, entregue pela revista France Football, e fechou 2016 com o título do Mundial de Clubes da Fifa, com direito a prêmio de melhor jogador da competição.

A escolha foi incontestável, especialmente pelos três gols anotados na decisão do torneio, na vitória na prorrogação por 4 a 2 sobre o Kashima Antlers. "Impressionante, foi um ano dos meus sonhos. Não esperava terminar assim, ganhando a final e ajudando o Real Madrid. Estou muito contente", comemorou o português, em entrevista à TVE, da Espanha.

O camisa 7 do Real Madrid terminou a competição como artilheiro, com quatro gols. Na semifinal, ele marcou uma vez no triunfo de 2 a 0 do Real Madrid sobre o América, do México. O segundo melhor jogador eleito do Mundial foi o croata Luka Modric, também do Real Madrid. Em terceiro lugar ficou Gaku Shibasaki, que marcou os dois gols do Kashima na decisão.

"Se espera sempre mais de Cristiano e eu sempre dou o melhor que tenho, quando não acontece é porque não dá mesmo, mas estou muito contente. Foi uma semana de alegria depois de ganhar a Bola de Ouro e agora o Mundial de Clubes. Um final de ano perfeito, agradeço aos meus companheiros, porque sem dúvida não poderia ganhar esses prêmios sem eles. Agradeço muito a eles", disse Cristiano Ronaldo.

Sobre a final, o craque português destacou o nível técnico do Kashima e as dificuldades que os japoneses conseguiram impor ao Real no duelo disputado no Estádio Internacional de Yokohama. "Foi uma partida de muito sofrimento. Não esperávamos que eles jogassem tão bem, mas jogamos bem também. Sofremos um pouquinho, mas as finais são assim, há que sofrer. É um torneio que queríamos muito. Queríamos terminar o ano da melhor maneira e estou muito contente", finalizou.

O Real fecha o ano na liderança do Campeonato Espanhol, classificado para as oitavas de final da Liga dos Campeões e com uma invencibilidade de 37 partidas. Além disso, com a taça conquistada neste domingo, o time espanhol se tornou o maior vencedor da história do Mundial, com cinco títulos, superando o Milan, dono de quatro troféus.

Assista aos programas da Record no R7 Play

    Access log