Futebol Cuca e Felipe Melo. O duelo de ódio na final da Libertadores

Cuca e Felipe Melo. O duelo de ódio na final da Libertadores

A briga pública no Palmeiras não foi esquecida. O destino colocou os dois, frente a frente, na final da Libertadores. Hora da vingança

  • Futebol | Do R7

Cuca e Felipe Melo. Os dois sabem o quanto cada um prejudicou a carreira do outro

Cuca e Felipe Melo. Os dois sabem o quanto cada um prejudicou a carreira do outro

Cesar Greco/Palmeiras

São Paulo, Brasil

"Aqui não tem jeito, já era. Com esse cara (Cuca) eu não trabalho. Esse cara é covarde, mau caráter, mentiroso. Falou uma coisa e liga para a imprensa para falar um monte. Quando eu falar vou rasgar ele no meio."

31 de setembro de 2017.

Felipe Melo assumiu que o áudio vazado para a imprensa, por grupos de Whatsapp, era dele. 

O motivo do ódio era o afastamento do volante, exigido pelo treinador depois de eliminação do  Palmeiras, na Copa do Brasil, há quatro anos, no Mineirão.

Após a partida das quartas de final, o volante questionou a maneira como o hoje treinador do Santos montou o time e disse que, com ele, o clube não conquistaria nada.

Felipe Melo foi afastado imediatamente.

Mas o volante acabou ganhando a guerra. Líder do grupo, a direção palmeirense resolveu ordenar seu retorno. O desgaste acabou com a demissão de Cuca, implodiu seu planejamento de fazer o Palmeiras, seu clube de infância, campeão da Libertadores.

O tempo passou, tanto o jogador quanto o treinador disseram que tudo passou.

Devem até se cumprimentar sábado, no Maracanã.

Mas pessoas ligadas aos dois garantem que a mágoa ficou.

Felipe Melo ficou exposto, marcado pelas ofensas ao técnico.

E Cuca, como um comandante que perdeu o emprego por conta de um jogador.

A final da Libertadores terá um gosto muito especial.

E que o lado vencedor saboreará lembrando do desafeto.

De forma silenciosa, mas com muito afinco, cada um tem sua arma para vencer mais esta batalha.

Cuca tentará explorar o setor do veterano de 37 anos. Ele sabe muito bem que ele volta de uma importante fratura no tornozelo esquerdo. E que está sem ritmo de jogo.

O que é importante para seu meio de campo ágil, vibrante e de muita velocidade. 

Aproveitar a possível lentidão do jogador que precisa proteger a cabeça da área. Principalmente pelo setor esquerdo santista, onde Soteldo, Felipe Jonatan e Pituca treinam contragolpes objetivos, infiltrações. Para confrontar, Marcos Rocha, Luan e Felipe Melo.

Já o volante segue fiel ao seu comportamento em decisões.

Está tratando de dar o apoio psicológico ao time.

Com longas conversar motivacionais e incentivo nos treinos, nas conversas com Abel Ferreira.

O jogador sabe que Cuca tentará explorar seu retorno de cirurgia.

E está com dedicação assustadora ao treinos. 

Quer vencer esse duelo particular.

Talvez até ter um bônus, caso o Palmeiras vença e dispute o Mundial.

Há a possibilidade dele ser negociado.

Para que faça um último contrato no exterior.

Até como prêmio por tudo que fez no Palmeiras.

Mas esse final feliz, Cuca fará de tudo para evitar...

Abel e Cuca mudam Palmeiras e Santos, mas só um leva Libertadores

Últimas