Futebol Começa nova etapa de Libertadores com mais brasileiros ex-campeões

Começa nova etapa de Libertadores com mais brasileiros ex-campeões

A 59ª edição do principal torneio continental terá sete clubes brasileiros na luta pelo título e o maior número de ex-campeões entre os 47 participantes

Começa nova etapa de Libertadores com mais brasileiros ex-campeões

O troféu da Copa Libertadores é objeto de desejo de clubes e torcidas na América do Sul

O troféu da Copa Libertadores é objeto de desejo de clubes e torcidas na América do Sul

Thiago Bernardes/Estadão Conteúdo

A 59ª edição da Copa Libertadores começa, nesta terça-feira (27), com a participação do maior número de clubes brasileiros campeões do torneio.

Além do Grêmio, atual campeão, lutam pelo título outras sete equipes que já tiveram o privilégio de exibir o troféu em suas galerias: Palmeiras, Corinthians, Cruzeiro, Santos, Vasco e Flamengo.

Outros três grandes brasileiros campeões de Libertadores São Paulo, Internacional e Atlético não participam desta edição. Já a Chapecoense, ainda sem títulos de Libertadores, foi eliminada nas fases preliminares.

Em 2018, o torneio terá 47 participantes — mesma quantidade de clubes do ano passado — e o Brasil é também o país com o maior número de representantes (8) entre as nações em disputa.

Outra peculiaridade desta edição da Libertadores é possuir a maior quantidade de ex-campeões entre os participantes (17). Além dos oito brasileiros, também disputam essa edição Boca Juniors, Independiente-ARG, River Plate, Estudiantes-ARG, Racing-ARG, Peñarol, Nacional-URU, Atlético Nacional-COL, Colo-Colo e Olímpia-PAR.

Premiação

Sem contar com clubes mexicanos, a Libertadores 2018 terá uma premiação recorde. A Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) decidiu dobrar o prêmio para o campeão e o vice em relação ao valor pago em 2017.

O vencedor deste ano ganhará seis milhões de dólares (aproximadamente R$ 20 milhões) e o vice receberá três milhões de dólares (R$ 10 milhões).

Somando as cotas de participação nas fases anteriores, o campeão poderá receber mais de R$ 35 milhões em prêmios. Em 2017, o Grêmio faturou cerca de R$ 25 milhões.

Brasileiros nos grupos

O Grêmio (campeão em 1983, 1995 e 2017) entrará em campo, às 19h15 (horário de Brasília), para enfrentar o Defensor-URU, no estádio Luis Franzini, em Montevidéu, pelo Grupo 1. O time tricolor gaúcho terá também a companhia na chave de Cerro Porteño e Monagas-VEN.

O Grupo 5 terá o Cruzeiro (campeão 1976 e 1997) e o Vasco (1998). Universidad de Chile e Racing-ARG complementam a chave. O time celeste visitará, nesta terça, o Racing, às 21h30, no estádio Presidente Perón, em Buenos Aires.

Campeão em 2012, o Corinthians está no Grupo 7, no qual terá como adversários o Millionarios-COL, o Deportivo Lara-VEN e o Independiente-ARG.

O goleiro Cássio, um dos heróis do título e que irá disputar a competição pela quinta vez na carreira, prega atenção e respeito com os adversários para o Corinthians chegar ao bicampeonato.

"A Copa Libertadores é um campeonato bem traiçoeiro, não podemos menosprezar nenhuma equipe. Já vimos muitas equipes que eram favoritas serem eliminadas e não chegarem no objetivo. Temos que estar bem preparados, respeitar todas as equipes", projetou o goleiro em entrevista publicada no site do Corinthians.

No Grupo 8, o Palmeiras, detentor do título de 1999 e equipe brasileira que mais participou da Libertadores, junto com Grêmio e São Paulo (18 edições), vai enfrentar o Boca Juniors, o Alianza Lima-PER e o Junior Barranquilla-COL.

Já o Flamengo (campeão em 1981) jogará pelo Grupo 4 contra River Plate, Emelec-EQU e Santa Fé-COL.

O Grupo 6 terá o tricampeão Santos (1962, 1963 e 2011) ao lado Estudiantes-ARG, Real Garcilaso-PER e Nacional-URU.

Chave sem brasileiros

O Grupo 2 é a única chave que não conta com a presença de brasileiros. Atlético Nacional-COL, Bolivar-BOL, Colo-Colo e Delfin-EQU lutam pelas duas vagas para a fase eliminatória do torneio.

    Access log