Corrupção na Fifa
Futebol 'CBF é o Brasil que dá certo?' Últimos presidentes são ligados a escândalos

'CBF é o Brasil que dá certo?' Últimos presidentes são ligados a escândalos

'CBF é o Brasil que dá certo?' Últimos presidentes são ligados a escândalos

'CBF é o Brasil que dá certo?' Últimos presidentes são ligados a escândalos

Lance

Lance

Lance

Uma frase de Carlos Alberto Parreira, treinador da Seleção Brasileira em duas Copas do Mundo (no tetra em 1994 e em 2006) e membro da comissão técnica em 2014, ficou eternizada às vésperas do último Mundial, no Brasil: "eu acho que a CBF é um Brasil que deu certo". Os fatos vão contra o pensamento de Parreira. Nos últimos quase 30 anos, a entidade foi comandada por dirigentes que, atualmente, estão envolvidos em escândalos no mundo do futebol.

Marco Polo Del Nero foi afastado do futebol nesta sexta pelo restante de sua vida, José Maria Marin está preso nos Estados Unidos e Ricardo Teixeira é indiciado por organização criminosa na Espanha. Eles foram os responsáveis por comandar a CBF de 1989 a 2017, quando Del Nero foi afastado. A CBF hoje é presidida pelo Coronel Nunes, que dá lugar a Rogério Caboclo, recentemente eleito, em abril de 2019. O atual comando é ligado a Marco Polo.

Ricardo Teixeira (1989-2012)
​A Justiça de Andorra pediu neste ano a extradição do ex-presidente da CBF, investigado na Europa por suspeita de lavagem de dinheiro (mais de R$ 30 milhões em propinas com contratos ligados à Seleção) em um processo que inclui também o ex-presidente do Barcelona (ESP), Sandro Rosell. Ele nega as acusações. A Constituição brasileira veta a extradição de brasileiros. Vários escândalos atingiram a gestão de Teixeira na CBF. Prestou depoimento em duas CPIs, a do futebol e a da CBF-Nike. No campo, a Seleção Brasileira conquistou duas Copas do Mundo em gestão, um total de 11 títulos mundiais e 27 sul-americanos contando todas as categorias do futebol. Teixeira tem 70 anos e segue sob investigações em quatro países (EUA, Espanha, Uruguai e Suíça).

José Maria Marin (2012-2015)
​Presidente da CBF durante as campanhas da Copa das Confederações e da Copa do Mundo, ambas realizadas no Brasil, Marin foi condenado em maio de 2015 por fraude, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha e cumpre pena nos Estados Unidos. O ex-presidente da CBF tem hoje 85 anos.

Marco Polo Del Nero (2015-2017)
​O ex-presidente da CBF foi indiciado pela Justiça americana em 2015 por envolvimento em casos de corrupção no futebol. Mas, desde então, passou a evitar sair do Brasil para não ser preso. A Fifa aplicou uma suspensão vitalícia a Marco Polo, além de uma multa de 1 milhão de francos suiços (R$ 3,5 milhões) por corrupção, por aceitar presentes de forma indevida e gestão desleal. Del Nero tem atualmente 77 anos. Rogério Caboclo, futuro presidente da CBF, faz parte de seu grupo político.

Lembre a frase de Parreira, em 2014
​"A seleção é o exemplo para o Brasil, e a CBF porque ela está por trás apoiando tudo isso aí. Em termos de organização, em termos de logística. Não falha nada. É a logística, o operacional, a parte técnica, a parte tática. São milhões de procedimentos e nenhum deles dá errado. Pegar esses jogadores de todos os lugares do mundo, colocar eles aqui no dia certinho. A CBF hoje tem uma situação maravilhosa. Economicamente ela está viável, está muito bem gerida. E ela criou o centro de treinamento aqui na Granja que é uma coisa sensacional, um dos melhores do mundo. Vocês ainda não viram a nova sede, que é talvez a melhor que eu vi em toda a história do futebol. Portanto, eu acho que a CBF é um Brasil que deu certo. A seleção brasileira de futebol é um Brasil que deu certo, não só pelas conquistas", afirmou Parreira, há quatro anos.

Parreira, em 2018
Em entrevista ao portal "Uol" nesta sexta-feira, Parreira reafirmou seu pensamento. Mas o ex-treinador diz que se refere ao futebol.

- Eu falo da CBF futebol, você está falando da CBF política, vamos fazer essa distinção, p...! A CBF que organiza o futebol é maravilhosa. Conversa com o Tite, pergunta se ele tem algo a reclamar, se alguma vez ele não teve apoio da CBF... Ele (Tite) tem o melhor centro de treinamento do mundo, a melhor concentração. A CBF funciona muito bem e sempre funcionou para os profissionais. Quando eu falo da CBF, é futebol e funciona para cacete... Quando se tem três ex-presidentes denunciados, evidentemente que não é coisa boa. Mas meu sentimento é que alguma coisa errada aconteceu. A Fifa não ia tomar uma atitude drástica dessa sem ter analisado - afirmou.