Futebol Brasil deve ser punido novamente por gritos homofóbicos na Arena Corinthians

Brasil deve ser punido novamente por gritos homofóbicos na Arena Corinthians

Torcida repetiu gritos de "bicha" ao goleiro adversário, como aconteceu em Manaus

  • Futebol | André Avelar e Dado Abreu, do R7

Ainda que o clima fosse de festa na última terça-feira (28), na Arena Corinthians, o comportamento de boa parte do público poderá resultar em punição à seleção brasileira por conta de gritos homofóbicos destinados ao goleiro paraguaio Antony Silva. Em diversas ocasiões os torcedores brasileiros gritaram “bicha” quando o jogador adversário tocou na bola.

Em nada adiantou o aviso do locutor do Itaquerão, ao pedir que a torcida respeitasse o adversário. "Futebol não combina com falta de respeito", disse pela primeira vez aos 17 minutos do primeiro tempo.

Em outubro, Fifa multou a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) em 20 mil francos suíços (cerca de R$ 65 mil) por atitude semelhante da torcida verde-e-amarela na partida entre Brasil e Colômbia, na Arena Amazônia, em Manaus, também válida pelas eliminatórias da Copa do Mundo.

A punição faz parte de um programa da Federação Internacional de Futebol contra a discriminação racial e social no esporte. Com o apoio da Fare Network, a Fifa monitora e tem multado confederações por atos racistas e homofóbicos. Além do Brasil, já foram punidas as federações de Honduras, Albânia, El Salvador, Itália, México, Peru, Paraguai, Argentina, Canadá e Chile.

Torcedores pagam R$ 200 para sentar no concreto em jogo da seleção

EsportesR7 agora também no YouTube. Inscreva-se

Últimas