Futebol Após rodar o Brasil, Taça das Favelas chega a São Paulo

Após rodar o Brasil, Taça das Favelas chega a São Paulo

Competição teve sua primeira edição em 2012, no Rio de Janeiro, e passou por 12 capitais do país antes de estrear na Terra da Garoa 

Após rodar o Brasil, Taça das Favelas chega a São Paulo

Evento contou com atletas da Taça, ex-jogadores e artistas

Evento contou com atletas da Taça, ex-jogadores e artistas

Guilherme Padin/R7

Depois de sete anos de sua primeira edição, no Rio de Janeiro, após rodar 12 capitais do Brasil, a Taça das Favelas (torneio de futebol amador) finalmente chegou a São Paulo.

A cerimônia de lançamento da competição aconteceu nesta quinta-feira (31), no teatro do estádio do Pacaembu e contou com a presenças de ex-jogadores e artistas, além, é claro, dos atletas.

VEJA TAMBÉM: Cafu exalta futebol como ferramenta de inclusão social

Os rappers MV Bill e Nega Gizza, ambos representantes da Cufa (Central Única das Favelas) apresentaram o evento.

Organizado pela Cufa, o campeonato já ocorre em outras 12 capitais do país e, como meta até 2021, o plano é ter 200 mil participantes diretos na Taça — entre as categorias feminina e masculina. A Taça é conhecida no meio como 'o maior campeonato de favelas do mundo'. Ao todo, mais de 100 mil jovens participam da competição.

EMOÇÃO: Nantes homenageia Sala no 1º jogo em casa após desastre aéreo

"O objetivo é que a Taça [das Favelas] esteja em todos os estados do Brasil ", disse Nega Gizza durante a apresentação da cerimônia.

O futebol, assim como o hip hop, salva vidas
Dexter

Sete anos depois, em SP

Idealizador da Taça das Favelas, Celso Athayde, a competição só chegou a São Paulo em 2019 por uma razão: garantir a excelência do torneio.

"Sei do grau de exigência [do povo paulistano]. Por isso, preferi errar o máximo que podia, para chegar com a Taça na Terra da Garoa com o projeto consolidado e com grandes parceiros”, garante Athayde.

COSME RÍMOLI: Nem Batman, Homem-Aranha ou Homem-Formiga. Apenas Neymar

Serão, de acordo com os organizadores, 400 atletas por favela participando por cada peneira, totalizando, assim, uma mobilização de 20 mil jovens.

Capitão do penta ganha título de embaixador da Taça

Dexter, Marta e Cafu serão embaixadores do evento

Dexter, Marta e Cafu serão embaixadores do evento

Guilherme Padin/R7

Presente na cerimônia, o ex-lateral-direito Cafu foi escolhido para ser o embaixador nacional da Taça das Favelas. As funções de embaixadores de São Paulo ficaram para ex-jogadora de basquete Marta Sobral e o rapper Dexter.

O capitão do pentacampeonato mundial da seleção brasileira afirmou que “o principal foco [da competição] é formar cidadãos”. “Mas é claro”, continuou ele, “que vão sair craques da Taça. Vão jogar 1000% do que sabem, vão dar o máximo, porque a visibilidade da Taça das Favelas é muito grande”.

Ouro nos Jogos Pan-Americanos de Havana, em 1991, Marta destacou a importância de ser um torneio com espaço aberto às mulheres.

Já Dexter usou de sua função para comentar do esporte como ferramenta de inclusão social: “O futebol, assim como o hip hop, salva vidas. É por isso que estou aqui. Os jovens estão morrendo e indo presos mais cedo. A cultura e o esporte salvam vidas”.

Serviço

Feitas pelo site da competição, as inscrições das favelas que participarão do torneio começaram nesta quinta (31) e vão até o próximo dia 20.

Após a divulgação das comunidades selecionadas, em 25 de fevereiro, as peneiras para todos atletas acontecerão em meados de março.

O campeonato ocorre entre 6 de abril e 1º de junho, data da final, que ocorre no Pacaembu.

Para fazer as incrições e mais informações, basta acessar o site da competição: tacadasfavelas.com.br

Dez anos do Sul-Americano sub-20: como estão os jogadores campeões