Novo Coronavírus

Fora de Jogo Carille e Grohe devem deixar Arábia e voltar ao Brasil em voo fretado

Carille e Grohe devem deixar Arábia e voltar ao Brasil em voo fretado

Profissionais do Al-Ittihad são esperados em avião contratado pela embaixada brasileira naquele país. Souza e Romarinho já estão em solo nacional

Fábio Carille está desde início do ano no Al-Ittihad-ARA

Fábio Carille está desde início do ano no Al-Ittihad-ARA

Divulgação/Al-Ittihad

O técnico Fábio Carille e o goleiro Marcelo Grohe devem chegar ao Brasil na madrugada desta quarta-feira (29). O que poderia ser um alento para as torcidas de Corinthians e de Grêmio, trata-se no entanto de uma fuga do coronavírus no Oriente Médio. Os dois profissionais do Al-Ittihad, da Arábia Saudita, são esperados para o voo fretado pela embaixada brasileira no país com destino a São Paulo.

Depois de uma série de pendências burocráticas, a embaixada brasileira confirmou que o voo fretado será nesta terça, pela companhia Ethiopian Airlines. Antes de chegar a São Paulo, o avião ainda fará escalas em Jeddah, Riade, Dammam e Najran. Os custos foram cobertos pelo órgão do governo. Na Arábia Saudita, os casos de covid-19 ultrapassam os 18 mil, sendo que são 144 mortes relatadas.

Apesar dos números absolutos serem menores em relação ao Brasil, que registrou 66.501 casos e 4.543 mortes na última segunda, os profissionais preferem seguir os exemplos de outros atletas que atuam por lá e ficar perto da família. Carille, por exemplo, tem residência e uma escolinha de futebol em Sertãozinho, o interior de São Paulo. Grohe, natural de Campo Bom (RS), precisará chegar ao Brasil e se deslocar com a família para Porto Alegre.

Anteriormente, Grohe já havia tido a chance de “pegar uma carona” com demais jogadores em voo fretado. Souza, ex-Vasco, São Paulo e hoje no Al-Ahli, e Romarinho, ex-Corinthians e hoje no Al-Ittihad, já retornaram ao Brasil — a mulher de Souza inclusive está grávida e preferiu que o filho nascesse por aqui. Grohe não embarcou no charter por que uma pessoa que trabalha com ele e a família não tem passaporte europeu, um dos requisitos já que o avião faria uma demorada escala na França.

A reportagem tentou contato com o zagueiro Maicon e com o meio-campo Petros, ambos ex-São Paulo, mas não conseguiu informações sobre possíveis voltas dos atletas do Al-Nasr.

Em nota, a embaixada do Brasil na Arábia Saudita alertou os brasileiros para seguirem as recomendações de segurança e saúde impostas pelas autoridades. O uso de máscaras é obrigatório durante todo o voo.

Carille trabalhou no Al Wedha de maio a dezembro de 2018, quando voltou ao Corinthians. Demitido em novembro do ano seguinte, acertou sua volta para o futebol árabe. Grohe chegou ao Al-Ittihad em dezembro de 2018 e demorou dez meses para conseguir jogar por conta de uma lesão no punho direito.

Curta a página de Esportes do R7 no Facebook

Melhor que CR7? Aos 45, Zé Roberto esbanja boa forma nas redes

Últimas