Esportes Felipão é o técnico com melhor aproveitamento no Brasileirão 2018

Felipão é o técnico com melhor aproveitamento no Brasileirão 2018

Invicto há 14 rodadas, técnico levou o Palmeiras a liderança e tem 85,7% de aproveitamento. Jair Ventura, do Corinthians, está entre os piores

Técnicos

Felipão está invicto com o Palmeiras no Brasileirão

Felipão está invicto com o Palmeiras no Brasileirão

César Grecco/Palmeiras - 21.10.2018

Passada a 30ª rodada, apenas cinco treinadores dirigiriam equipes desde a 1ª rodada: Diego Aguirre (São Paulo), Renato Gaúcho (Grêmio), Mano Menezes (Cruzeiro) e Odair Hellmann (Inter), além de Enderson Moreira (América-MG e Bahia). 

Destes, Odair é o de melhor aproveitamento, com 63,3% (atual 3º colocado com o Inter na tabela de classificação). 

Entre todos os 43 treinadores que comandaram alguma equipe nesse Brasileirão até aqui, porém, o que tem o melhor desempenho é Luiz Felipe Scolari, com 85,7% de aproveitamento. 

Ao assumir o Palmeiras na 17ª rodada, Felipão não perdeu, ganhou 11 de 14 jogos, e levou o time à liderança, agora com 4 pontos de vantagem sobre o segundo colocado (Flamengo). 

O rubro-negro, que trocou de técnico recentemente, tem o segundo técnico com melhor aproveitamento, mas com apenas quatro jogos no comando — Dorival Júnior venceu três e empatou um jogo.

Por outro lado, Marcelo Chamusca (ex-Ceará) e Nelsinho Baptista (ex-Sport), tiveram o pior desempenho, com apenas 16,7% de aproveitamento. Dos técnicos ainda empregados na Série A, os piores são Claudinei Oliveira (agora no Paraná), com 26,2%, e Jair Ventura (Santos e Corinthians), com 35% de aproveitamento. 

Veja o aproveitamento dos técnicos no Brasileirão até a 30ª rodada (mínimo de 3 jogos):
85,7%   Luiz Felipe Scolari (14 jogos)
83,3%   Dorival Júnior (4 jogos)
63,3%   Odair Hellmann (30 jogos)
61,5%   Maurício Barbieri (26 jogos)
61,1%   Fábio Carille (6jogos)
60,0%   Cuca (15 jogos)
58,9%   Diego Aguirre (30 jogos)
57,8%   Renato Gaúcho (30 jogos)
57,4%   Tiago Nunes (18 jogos)
52,9%   Thiago Larghi (29 jogos)
51,1%   Roger Machado (15 jogos)
50,0%   Milton Mendes (4 jogos)
50,0%   Valdir Bigode (4 jogos)
48,1%   Marcelo Oliveira   18 jogos)
46,7%   Lisca (20 jogos)
46,0%   Mano Menezes (29 jogos)
44,4%   Cláudio Prates (3 jogos)
43,3%   Enderson Moreira (30 jogos)
41,7%   Adílson Batista (16 jogos)
39,7%   Zé Ricardo (21 jogos)
39,1%   Alberto Valentim (23 jogos)
38,9%   Abel Braga (12 jogos)
38,9%   Paulo César Carpegiani (12 jogos)
37,5%   Vágner Mancini (16 jogos)
37,3%   Osmar Loss (17 jogos)
35,3%   Gílson Kleina (17 jogos)
35,0%   Jair Ventura (20 jogos)
33,3%   Guto Ferreira (21 jogos)
26,2%   Claudinei Oliveira (28 jogos)
25,9%   Rogério Micale (18 jogos)
25,0%   Fernando Diniz (12 jogos)
25,0%   Marcos Paquetá (4 jogos)
23,3%   Jorginho Campos (10 jogos)
16,7%   Eduardo Baptista (8 jogos)
16,7%   Marcelo Chamusca (6 jogos)