Federação defende que Campeonato Italiano se estenda até julho para ser concluído

Embora a Uefa tenha indicado a intenção de que a temporada 2019/2020 do futebol europeu se encerre até 30 de junho, a Itália admite a possibilidade e o desejo de estender o seu campeonato por alguns dias de julho. Foi o que indicou Gabriele Gravina, presidente da Federação Italiana de Futebol (FIGC, na sigla em italiano), preocupado em concluir as competições, paralisadas em função do surto de coronavírus.

"Graças ao adiamento da Eurocopa, algo que queríamos, temos mais possibilidade de escolher datas para recuperar as partidas adiadas em fevereiro entre maio e junho, na esperança de que possamos terminar antes de 30 de junho. Caso contrário, como a Federação Espanhola já fez, pediremos a possibilidade de continuar jogando por 10 ou 15 dias em julho", afirmou o dirigente à rádio 24, da Itália.

Seguir com o campeonato após junho pode, porém, causar alguns problemas envolvendo contratos de jogadores, seguros, aluguel de instalações esportivas e até mesmo o fechamento de balanços financeiros.

"Consideramos uma injustiça terminar a classificação como está agora. Seria uma tremenda injustiça. É quase impossível garantir que a classificação que existe agora seja a mesma ao final de temporada. Outros falaram em desistir de toda as temporada. Vamos defender que não. O terceiro cenário seria retroceder ao meio da competição. Não vamos apoiar isso. Seria recompensar alguém que tinha uma posição há muitos dias e está em outra posição", disse Gabriele Gravina.

O Campeonato Italiano ficará paralisado ao menos até 3 de abril. O torneio foi interrompido na 26.ª de 38 rodadas, tendo a Juventus na liderança, com um ponto de vantagem para a Lazio. A Itália registrou 2.503 mortes por coronavírus em seu último balanço.