Esportes Olímpicos Pistorius poderá solicitar liberdade condicional em março de 2023

Pistorius poderá solicitar liberdade condicional em março de 2023

Atleta sul-africano assassinou a namorada Reeva Steenkamp no ano de 2013 e foi condenado a 15 anos de prisão

Oscar Pistorius diz que confundiu a namorada com um ladrão

Oscar Pistorius diz que confundiu a namorada com um ladrão

EFE

O atleta sul-africano Oscar Pistorius, que cumpre pena pelo assassinato de sua namorada, a modelo Reeva Steenkamp, em 2013, poderá solicitar sua liberdade condicional a partir de março de 2023, segundo decisão de um tribunal da África do Sul.

A notícia foi confirmada pela representante legal da família da vítima, advogada Tania Koen, apontando que a notícia é especialmente lamentável para os Steenkamps por ser conhecida poucos dias antes do aniversário do assassinato (14 de fevereiro), conforme noticiado nesta segunda-feira o portal local "IOL".

A nova data para Pistorius ser candidato à liberdade condicional foi determinada pelo Supremo Tribunal de Apelações da África do Sul, corrigindo um veredicto anterior que não levava em consideração os 506 dias que o atleta havia cumprido anteriormente na prisão.

Isso significa que ele poderia ter o privilégio de liberdade condicional apenas uma década após o assassinato.

A palavra final sobre sua libertação, entretanto, será com o Departamento de Serviços Correcionais do governo sul-africano.

"Espero que o departamento veja a situação com olhos favoráveis", disse o pai do atleta, Henke Pistorius.

O órgão governamental responsável pelo sistema penitenciário, por enquanto, limitou-se a lembrar que todos os presos na África do Sul têm o direito de solicitar liberdade condicional após cumprirem pena mínima, mas isso não é garantia de que será concedida.

"É um privilégio que deve ser conquistado seguindo nossas prescrições e, em última análise, pelo grau de prontidão para a reintegração social", explicou Singabakho Nxumalo, porta-voz do departamento, em um comunicado.

Pistorius, de 34 anos, está cumprindo pena de 15 anos de prisão por atirar e matar sua namorada, a modelo Reeva Steenkamp, em sua casa, no Dia dos Namorados de 2013.

Ele atirou nela quatro vezes pela porta fechada do banheiro e, durante o julgamento, tentou, sem sucesso, defender o argumento de que entrou em pânico após confundir Steenkamp com um ladrão que teria entrado na casa pela janela do banheiro.

Inicialmente foi condenado a seis anos de prisão, quando o juiz considerou que existiam circunstâncias atenuantes, mas, após um recurso do Ministério Público, o Supremo Tribunal da África do Sul aumentou a pena em novembro de 2017 para 15 anos, o mínimo previsto pela lei sul-africana em casos de assassinato.

As condições para liberdade condicional dessa sentença são as que agora foram revistas, pois o tribunal cometeu o erro de não contar os 506 dias que Pistorius já tinha cumprido.

Pistorius, nascido com um problema genético que levou seus pais a decidirem amputar ambas as pernas abaixo dos joelhos quando ele tinha 11 meses, alcançou fama mundial ao correr nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012, com duas próteses de carbono.

Piada renovada! Os memes da eliminação do Palmeiras no Mundial

Últimas