Medina e Italo Ferreira seguem luta por Mundial garantidos em Tóquio

Filipe Toledo tinha chance de título, mas foi eliminado em Pipeline, o que assegurou aos brasileiros as vagas para as Olimpíadas de 2020

Em pipeline, no havaí, brasileiros são favoritos à conquista do mundial de surf

Em pipeline, no havaí, brasileiros são favoritos à conquista do mundial de surf

Colagem R7/Reprodução

Italo Ferreira e Gabriel Medina são os brasileiros com chances matemáticas de serem campeões mundo de surfe na etapa de Pipeline, última do Circuito Mundial de 2019. Com a eliminação de Filipe Toledo na terceira fase da competição, os dois garantiram vaga nas Olimpíadas de Tóquio 2020.  O norte-americano Kolohe Andino também pode conquistar o Mundial, mas com uma grande combinação de resultados.

Desde 2014 o Brasil se mantém entre os primeiros no ranking mundial. Medina ganhou em 2014 e 2018. Adriano de Souza, o Mineirinho, fez a festa em 2015. Só o havaiano John John Florence conseguiu quebrar essa sequência em 2016 e 2017. No próximo dia de competições, a festa em Pipeline deve ser verde e amarela, com Medina ou Italo como campeão. A menos que os dois sejam eliminados nas oitavas e Kolohe vença o torneio.

Na terça-feira, Italo e Medina avançaram para as oitavas de final, confirmando o favoritismo. Já o brasileiro Filipe Toledo e o sul-africano Jordy Smith foram eliminados na terceira fase da disputa e não terão a chance de conquistar o primeiro título mundial em suas carreiras. "Cometi erros em relação à prioridade, isso acontece. É duro, mas vamos ver o que vem na sequência", lamentou Filipinho.

Na primeira bateria das oitavas de final, Italo Ferreira vai enfrentar seu compatriota Peterson Crisanto. Já na quinta bateria, Gabriel Medina encara Caio Ibelli, também brasileiro, que o eliminou na etapa de Peniche, em Portugal. Na ocasião, o bicampeão mundial cometeu uma interferência e acabou sendo eliminado em um duelo que estava em vantagem.

Veja mais: Ex-craque Marcel não vê mais basquete: 'Jogador hoje é empresa'

Depois desse episódio, muita gente invadiu as redes sociais de Ibelli criticando a postura do atleta, como se ele tivesse de ajudar Medina na disputa. No dia seguinte, muitos torcedores mostraram apoio ao surfista pelo profissionalismo. "Espero que não tenha interferência desta vez e quero vencer. Sei que é uma bateria de título mundial, mas tenho de fazer meu trabalho e tentar ganhar", afirmou Ibelli.

Já Kolohe fecha a última bateria das oitavas de final contra o francês Michel Bourez. Ele sabe que precisa torcer pela eliminação dos brasileiros e ganhar a final da etapa, algo que nunca aconteceu. Já na disputa entre Italo e Medina, o primeiro leva vantagem. Se ambos caírem na mesma fase, Italo será campeão do mundo. Se Italo for eliminado, Medina precisa apenas avançar para garantir o seu tricampeonato mundial.

Veja mais: Medina muda visual e 'imita' cabelo dos amigos Hamilton e Neymar

Nesta quinta-feira haverá uma nova chamada para o evento, às 15h (horário de Brasília), mas a tendência é que não tenha condições de a competição ser realizada por causa das enormes ondas que estão atingindo o litoral do Havaí. Tudo indica que os melhores dias serão sexta-feira e domingo. Vale lembra que a etapa necessita de apenas mais um dia de disputa para terminar.

Confira os confrontos das oitavas de final no Havaí:

Italo Ferreira (BRA) x Peterson Crisanto (BRA)

Yago Dora (BRA) x Julian Wilson (AUS)

Ricardo Christie (NZL) x Jack Freestone (AUS)

Seth Moniz (HAV) x Kelly Slater (EUA)

Gabriel Medina (BRA) x Caio Ibelli (BRA)

John John Florence (HAV) x Soli Bailey (AUS)

Jesse Mendes (BRA) x Griffin Colapinto (EUA)

Michel Bourez (FRA) x Kolohe Andino (EUA)

Curta a página do R7 Esportes no Facebook

Campeã mundial, Simone Biles curte namoro fora das competições