Japão estuda Jogos “mais simples” em 2021, diz governadora de Tóquio

Devido aos impactos financeiros causados pela pandemia do coronavírus, governantes pensam em fazer Olimpíada com custos menores

Organização pensa em fazer Olimpíadas com menos custo

Organização pensa em fazer Olimpíadas com menos custo

Kim Kyung-Hoon /Reuters - 4.6.2020

A governadora de Tóquio, Yuriko Koike, disse nesta quinta-feira que pode ser necessário realizar uma Olimpíada "simplificada" no próximo ano devido ao impacto da pandemia da covid-19 e que os organizadores já estão discutindo possíveis mudanças.

Os comentários de Koike ocorreram depois que o jornal Yomiuri informou que várias opções, como teste obrigatório de coronavírus e números menores de espectadores, estavam sendo consideradas pelos organizadores.

John Coates, chefe de inspeção do Comitê Olímpico Internacional (COI) para Tóquio 2020, afirmou que os organizadores tinham de planejar o que poderia ser uma Olimpíada "muito diferente" se não houvesse sinais de erradicação da Covid-19.

"A realização dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos exige solidariedade e compreensão dos habitantes de Tóquio e do povo japonês", disse Koike a repórteres.

"Para isso, precisamos racionalizar o que precisa ser racionalizado e simplificar o que precisa ser simplificado."

O jornal Yomiuri, citando fontes do governo e do comitê organizador, afirmou que testes obrigatórios de PCR para todos os espectadores - além de atletas e funcionários - e limitar o movimento dentro e fora da vila de atletas estão entre as opções que o Japão discutirá com o COI.

Em um briefing regular, o porta-voz de Tóquio 2020, Masa Takaya, não confirmou os detalhes da reportagem, mas disse que as partes interessadas estavam buscando maneiras de "otimizar e racionalizar o escopo e os níveis de serviço na preparação para os Jogos".

"Nesta fase, ainda não temos resultados concretos, mas queremos continuar com as discussões", disse Takaya.

"A disseminação do novo coronavírus...é algo muito indeterminado e não temos capacidade de entender completamente como será a situação no próximo ano", completou.

O COI e o governo japonês tomaram em março a decisão sem precedentes de adiar os Jogos, que começariam em julho. Um novo adiamento para além de 2021 foi descartado.

O novo coronavírus já infectou mais de 6,4 milhões de pessoas e matou cerca de 380.000 em todo o mundo. O Japão teve cerca de 17.000 infecções e 900 mortes registradas até o momento.

Curta a página do R7 Esportes no Facebook.

Skatista de 11 anos recebe alta e avisa: 'Estou voltando mais forte'