Ítalo bate Medina e conquista Mundial de Surfe pela primeira vez

Surfista de Baía Formosa, no Rio Grande do Norte, não deu chances para rival e ficou com título em Pipeline, no Havaí: 'Dediquei minha vida para isso'

Ítalo Ferreira teve 7,83 e 7,73 nas duas melhores ondas na final em Pipeline

Ítalo Ferreira teve 7,83 e 7,73 nas duas melhores ondas na final em Pipeline

Reprodução/Instagram @italoferreira

O Brasil está de novo no pico do surfe mundial. Em uma final verde-amarela, Ítalo Ferreira bateu Gabriel Medina nesta quinta-feira (19), em Pipeline, no Havaí. O surfista de Baía Formosa, no Rio Grande do Norte, consagrou campeão pela primeira vez na carreira.

A decisão reservou o melhor do surfe mundial. Os dois líderes do ranking destruíram seus adversários na semi — Ítalo atropelou Kelly Slater com a incrível nota de 14,77 a 2,57 e Medina passou por Griffin Colapinto por 13 a 7,10 – e justificaram cada um dos 40 minutos da decisão. No final, o potiguar venceu por 15,56 (7,83 e 7,73 nas duas melhores ondas) a 12,94 (7,77 e 5,17).

"Não poderia imaginar. Era o meu sonho. Dediquei a minha vida inteira para isso e consegui", disse Ítalo para a transmissão oficial. "Acreditei em mim mesmo. Sei que o Gabriel é um competidor muito duro e teria que fazer o meu melhor para ganhar dele. Esse é o meu momento e... Não posso acreditar."

E o título para Ítalo quase saiu horas mais cedo. Isso porque a bateria de oitavas de final de Medina foi bastante polêmica, com o bicampeão mundial (2014 e 2018) fazendo uma interferência na última onda, tirando a chance de Caio Ibelli virar e se classificar.

Carreira vitoriosa

O atleta de 25 anos consagra uma carreira cheia de conquistas desde jovem, quando garantiu os títulos do Quiksilver Pro Rio Junior e do Mormaii Pro Junior em Garopaba. Em 2014, foi campeão da SuperSurfe, sendo considerado o campeão brasileiro, além de ser vice-campeão no Moche Rip Curl pro Portugal 2015, perdendo para Filipe Toledo. Ainda em 2015, ganhou o titulo simbólico de melhor estreante do ano no Circuito Mundial de Surfe.

Ítalo só foi vencer a sua primeira etapa na elite do surfe mundial em 2018, em Bells Beach, na Austrália. No mesmo ano, foi campeão de mais duas etapas: em Bali e também em Portugal, terminando a temporada na 4ª posição.

Nesse ano, ele venceu "apenas" duas etapas, na Gold Coast, na Austrália e novamente em Portugal, mas teve uma campanha mais estável, sem tantas oscilações, com direito a dois vices, na África do Sul e na França.

Na tabela mundial do surfe em 2019, Ítalo terminou em primeiro, com Medina em segundo. O sul-africano Jordy Smith foi o terceiro, seguido pelo brasileiro Filipe Toledo e o norte-americano Kolohe Andino.

Garantido como o terceiro brasileiro campeão mundial de surfe, o potiguar também será um dos representantes do Brasil nas Olimpíadas de Tóquio, na estreia do surfe na maior competição esportiva do planeta. Além dele, Gabriel Medina, Tatiana Weston-Webb e Silvana Lima também garantiram vaga. 

Brasil já tem inúmeros atletas com vaga em Tóquio 2020. Conheça todos