Doping tira Rússia das Olimpíadas de Tóquio e da Copa do Qatar

Agência Mundial Anti-dopagem decidiu banir a delegação russa do esportes nos próximos quatro anos; País tem 21 dias para recorrer da decisão

Rússia está fora do esporte por quatro anos

Rússia está fora do esporte por quatro anos

Evgenia Novozhenina/Reuters - 28.11.2019

A Agência Mundial Anti-dopagem (Wada) decidiu na manhã deste segunda-feira (9) banir a Rússia do esporte nos próximos quatro anos devido à falsificação de dados que foram entregues ao órgão. Com isso, os atletas russos não poderão defender o País nas Olimpíadas de Tóquio 2020, nos Jogos Olímpicos de Inverno em Pequim 2022 e na Copa do Mundo do Qatar 2022. 

O Comitê Executivo da Wada decidiu por unanimidade a exclusão em reunião que aconteceu nessa segunda-feira, em Lousane, na Suíça. A Rússia tem 21 dias para recorrer da decisão junto à Tribunal Arbitral do Esporte (TAS). 

A sentença acontece quatro anos após terem sido revelados detalhes do esquema de dopagem que atingiram o pico nas Olimpíadas de Inverno de Socchi, na Rússia, em 2014. A Rusada (Agência anti-dopagem russa) e a Rússia já haviam sido banidas das Olímpiadas de PyeongChang e parcialmente no Rio 2016. Em 2018, a Wada decidiu retomar a integração do País, mas a agência russa não cumpriu as exigências do órgão mundial. 

No começo de 2019, a Agência Mundial investigou e constatou que os russos manipularam o banco de dados dos atletas. Essa é a principal causa da nova punição. 

Craig Reedie, presidente do Comitê Executivo explicou a decisão radical da entidade. "Por muito tempo, o doping russo prejudicou o esporte limpo. A violação flagrante pelas autoridades russas das condições de restabelecimento da Rusada, aprovada pela ExCo em setembro de 2018, exigiu uma resposta robusta. É exatamente isso que foi entregue hoje. A Rússia teve a oportunidade de colocar sua casa em ordem e voltar a se juntar à comunidade antidoping global para o bem de seus atletas e a integridade do esporte, mas optou por continuar em sua posição de decepção e negação. "

Os atletas que passarem por exames antidoping poderão disputar os Jogos, mas não com uniforme russo e, em caso de medalha, a bandeira e o hino do País não podem ser hasteada e tocado em competições oficiais. 

Além disso, nenhum evento esportivo pode ser sediado na Rússia e funcionários e representantes do governo não poderão participar de eventos ou servir no conselho de organizações que assinaram o código antidoping global. 

Curta a página do R7 Esportes no Facebook. 

Campeã mundial, Simone Biles curte namoro fora das competições