Dirigente admite que incerteza sobre Olimpíada seguirá até março

Toshiaki Endo disse não ser possível ter certeza da realização do evento em 2021, devido a evolução da pandemia da covid-19

Kimimasa Mayama/EFE/EPA

O vice-presidente do comitê organizador local dos Jogos Olímpicos de Tóquio, Toshiaki Endo, admitiu nesta sexta-feira que até março do ano que vem, não será possível ter certeza sobre a realização do evento, devido a evolução da pandemia da Covid-19, a doença provocada pelo novo coronavírus.

"Um assunto importante será como estão acontecendo as classificações. Tendo em conta isso, então deverá ser tomada uma decisão em vários aspectos", admitiu o também ex-ministro do Japão para os Jogos Olímpicos.

Endo, que participou hoje de uma reunião do Partido Liberal Democrata, que governa o país, se refere a possibilidade de competições qualificatórias terem que ser canceladas, devido ao risco de contágio da Covid-19 em diferentes pontos do planeta.

O evento deveria começar em 24 de julho deste ano e ser disputado até 3 de agosto, mas devido a pandemia, houve adiamento em um ano, para o período entre 23 de julho e 8 de agosto.

Veja mais: Popó sobre retorno de Tyson: "Aos 53 anos, ele é vovô para o boxe"

Até o momento, o Comitê Olímpico Internacional (COI) não fixou um prazo para determinar se os Jogos Olímpicos terão que ser cancelados, devido a situação epidêmica no Japão ou no exterior.

Segundo a imprensa japonesa publicou no mês passado, a entidade considera que outubro será um mês crítico para avaliar se será possível realizar o evento na data prevista em 2021.

Curta a página do R7 Esportes no Facebook

Skatista de 11 anos recebe alta e avisa: 'Estou voltando mais forte'