Novo Coronavírus

Esportes Olímpicos Cinquentenária, Maratona de NY repete Boston e é cancelada

Cinquentenária, Maratona de NY repete Boston e é cancelada

Uma das principais atrações do calendário esportivo, prova com 50 mil corredores estava marcada para novembro e não será realizada pela covid-19

Maratona de Nova York está no circuito das mais importantes do mundo

Maratona de Nova York está no circuito das mais importantes do mundo

Peter Foley/EFE

Mais um grande evento esportivo internacional deixará de ser realizado por causa da pandemia de coronavírus. Executivos do grupo organizador New York Road Runners e autoridades municipais dessa cidade americana anunciaram, nesta quarta-feira (24), o cancelamento da Maratona de Nova York.

Em abril deste ano, a Maratona de Boston, também nos Estados Unidos e também no circuito das maiores do mundo, havia cancelado a sua prova. Boston, que teve a primeira corrida em 1897, não havia sido interrompida nem pelas guerras mundiais. 

Será, sem dúvida, mais um baque para o turismo da cidade. A Maratona de Nova York, a maior e mais lucrativa do circuito mundial da modalidade, uma das principais atrações do calendário esportivo americano, completaria 50 anos de existência nesta edição, que seria realizada no próximo mês de novembro.

As provas mais recentes envolveram mais de 50 mil corredores, dez mil voluntários e cerca de um milhão de espectadores, que se distribuem pelo percurso de 42,195 quilômetros distribuído pelos cinco distritos de Nova York.

As autoridades municipais e os organizadores decidiram cancelar a prova após ouvirem dos especialistas em saúde pública que seria de alto risco reunir tanta gente, de todas as partes do mundo, nas ruas da cidade.

Os médicos e pesquisadores consultados afirmaram que a realização de eventos de massa nos Estados Unidos, sobretudo internacionais, como a Maratona de Nova York, será extremamente perigosa enquanto uma vacina ou tratamento para as doenças provocadas pelo coronavírus não estiver disponível em larga escala.

Apesar das taxas de infecção na região metropolitana de Nova York estarem em queda, a possibilidade de uma nova onda de contágio preocupa o governo dos Estados Unidos, que acaba de emitir um alerta sobre o assunto. Na noite de terça-feira (13), as estatísticas mostravam que o número de casos estava em alta em 26 dos 50 estados americanos.

Diante da situação adversa, e aparentemente irreversível, os organizadores resolveram desistir antes de gastar mais dinheiro na organização da prova.

“Havia a esperança (de realizar a corrida) até bem pouco tempo, mas ela se transformou em incerteza. Com o que vimos nos últimos meses, a decisão tomada era realmente a única possível”, lamentou ao repórter Mathew Futermann, do jornal americano The New York Times, o executivo-chefe da New York Runners, Michael Capiraso.

Quem se inscreveu para 2020 poderá optar pelo reembolso da taxa ou por um crédito para participar das próximas três edições. Haverá também a opção de participar da corrida virtualmente. Os detalhes da versão virtual serão divulgados em julho.

Djokovic e Jokic: sérvios entram na lista dos atletas com coronavírus

Últimas