Lance Voto do Brasil surpreendeu sedes vencedoras da Copa de 2026

Voto do Brasil surpreendeu sedes vencedoras da Copa de 2026

Presidente da Federação Americana se "espantou" com decisão da CBF em apoiar o Marrocos. Mexicano disse: 'Vão tirar o chapéu para nós

Copa 2026

Representantes comemoram vitória da candidatura tripla para Copa de 2026

Representantes comemoram vitória da candidatura tripla para Copa de 2026

Lance

A decisão do presidente da CBF, Coronel Nunes, em quebrar o "acordo" da Conmebol em votar em bloco na candidatura tripla de México, Canadá e Estados Unidos, e apoiar o Marrocos na votação para a sede da Copa de 2026, ocorrida nesta quarta-feira, no 68º Congresso da Fifa, em Moscou (RUS), deu o que falar.

Durante a coletiva de imprensa dos três países vencedores da disputa o sentimento era um só: surpresa.

— Foi surpreendente para nós essa mudança de decisão. Quando pegamos a lista para ver a relação de votos e vimos a decisão ficamos surpresos. Mas respeitamos a posição do Brasil, é algo pessoal. O importante é que a maioria nos apoiou. No fim, não vão lembrar daqueles que não votaram na nossa candidatura — declarou o presidente da US Soccer, Carlos Cordeiro.

Já o presidente da Federação Mexicana de Futebol, Decio De Maria, preferiu seguir um outro caminho e foi irônico com o episódio.

— O Brasil ter mudado o voto é um direito deles. Não muda o que aconteceu aqui. Vamos trabalhar muito nos próximos oito anos para, em 2026, após a competição, o Brasil faça uma declaração tirando o chapéu para as sedes — declarou.

Um outro ponto importante das primeiras palavras dos países que serão sede da edição de 2026 foi a relação dos Estados Unidos, na figura do presidente Donald Trump, com o Canadá e, principalmente, com o México. Mas nem o presidente mexicano, tampouco o canadense se preocuparam com o fato.

— Somos países vizinhos, com uma longa história. Já concordamos e discordamos várias vezes. Mas isso não se aplica a esse grupo conjunto de trabalho desta candidatura. E o futebol, mais uma vez, dará essa resposta de união — declarou Decio de Maria, que teve o discurso endossado pelo presidente da Federação Canadense, Steve Reed:

— Não vou entrar no assunto de política aqui. Mas tivemos, durante o nosso trabalho de candidatura, o apoio dos nossos três governos. Não tenho dúvidas que faremos um grande trabalho para realizar esta edição da Copa — disse.

A Copa do Mundo de 2026 será histórica, uma vez que é a primeira vez que uma edição de Mundial será sediada por três países simultaneamente. Além disso, são grandes as chances de ser a primeira edição com 48 seleções, uma vez que o Qatar, que vai receber o torneio de 2022, ainda não tem este novo formato assegurado.