Presidente do Grêmio apoia decisão de priorizar Gaúcho: 'Absolutamente correta'

A polêmica decisão de Renato Gaúcho de priorizar a semifinal do Campeonato Gaúcho e escalar os reservas contra o Guaraní, em Assunção, nesta quinta-feira, pela Copa Libertadores, recebeu um importante aval: do presidente do clube, Romildo Bolzan Júnior.

Depois do empate por 1 a 1 no Paraguai, resultado que o manteve na liderança do Grupo 8, o Grêmio encara o Novo Hamburgo, fora de casa, no próximo domingo, após ter empatado o jogo de ida por 1 a 1. E, para Bolzan, a decisão de priorizar a partida de domingo foi "absolutamente correta".

"Essa estratégia (de poupar os titulares) deu muito certo porque, a meu ver, se tinha um time para sair vencedor aqui, era o Grêmio", avaliou o presidente do clube gaúcho. "O Grêmio mereceu vencer a partida. Então, dentro dessa situação, está absolutamente correto como foi encaminhado o jogo."

Questionado se a opção em escalar os reservas significava que o Grêmio pensava em quebrar a hegemonia do Internacional no Estadual, Bolzan respondeu que não era bem assim. "Significa apenas que o jogo mais importante da semana é contra o Novo Hamburgo", apontou. "Mas não significa que daqui para a frente priorizaremos o Campeonato Gaúcho. Semana que vem, depois de domingo (do jogo contra o Novo Hamburgo), analisaremos como nos comportaremos contra o próprio Guaraní."

Mas, ainda assim, ao desenvolver o raciocínio, o dirigente não escondeu o desejo de conquistar o Estadual - e de quebrar a hegemonia de seis títulos consecutivos do Inter. "Que é um desejo do Grêmio vencer o Campeonato Gaúcho, é, porque faz seis anos que não vencemos. Achamos importante recuperar essa hegemonia", completou.