Em má fase, Ponte Preta acerta com três reforços para sequência da temporada

Um dia após a derrota da Ponte Preta para o Grêmio por 3 a 1, que empurrou o time campineiro para a perigosa 16.ª posição, com 15 pontos, do Campeonato Brasileiro, a diretoria anunciou três reforços: os atacantes Maranhão, do Fluminense, e Zé Roberto, do Criciúma, além do lateral-esquerdo Danilo Barcelos, do Atlético Mineiro.

Os nomes ainda estão longe da expectativa da torcida, mas são esperanças para o técnico Gilson Kleina interromper a má fase, que derrubou o time na tabela de classificação. São cinco jogos sem vitórias, com três derrotas consecutivas. E apenas dois gols marcados em cinco jogos. Mas eles não terão condições de atuar contra o Coritiba, nesta quarta-feira, em Campinas (SP), pela 15.ª rodada.

Zé Roberto é um velho conhecido da torcida da Ponte Preta porque esteve em Campinas na última temporada, emprestado pelo Bahia, mas não conseguiu se firmar. Com 23 anos, ele é revelado pelas categorias de base do Bahia (de Feira de Santana), passou pelo Bahia, Salgueiro-PE e no primeiro semestre deste ano estava no Mirassol, disputando o Campeonato Paulista. Recentemente acertou com o Criciúma na Série B, onde não era unanimidade.

Maranhão é um pouco mais velho, com 27 anos. Ele é um meia-atacante, que joga pela beirada do campo. Também já defendeu o Bahia e tem duas passagens pelo futebol internacional - no Cruz Azul, do México, e no Dejeon Citizen, da Coreia do Sul. Jogou no Atlético Paranaense, Chapecoense e recentemente estava no Fluminense.

Faltam apenas detalhes burocráticos para o acerto com o lateral-esquerdo Danilo Barcelos, que atualmente está no Atlético Mineiro, após ser destaque do América-MG na última temporada. O clube aguarda a resposta dos mineiros para oficializar a contratação do jogador, que atua pela esquerda, uma das posições mais carentes do grupo. João Lucas e Fernandinho não foram bem e no último jogo o lateral-direito Jeferson foi improvisado pelo setor.

O elenco só voltou de Porto Alegre após o almoço, nesta segunda-feira, e encontrou um clima pesado no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas. Por prevenção, a segurança estava reforçada, o que também ocorreu no centro de treinamento.