Rogério Ceni assume problema no vestiário: "Chutei o quadro porque estava nervoso, não quis acertar ninguém"

Técnico do São Paulo afirmou que nunca teve problemas com Cícero

  • Futebol
  • Talyta Vespa, do R7
Rogério Ceni se manifestou sobre confusão com Cícero
Rogério Ceni se manifestou sobre confusão com Cícero NEWTON MENEZES/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

O técnico do São Paulo, Rogério Ceni, falou sobre a polêmica do vestiário durante o jogo contra o Corinthians, pelo Campeonato Paulista. Na última semana, vazaram informações de que Ceni teria chutado uma prancheta em Cícero no intervalo do jogo em que o São Paulo perdia por 2 a 0.

De olho em testes para Copa de 2018, Tite convoca seleção para amistosos na Austrália

Aos 36 anos, Edu Dracena tem contrato renovado e agradece confiança do Palmeiras: "Quero deixar marca"

Entre Phelps e Daniel Dias, fã mirim elege astro paralímpico como referência

Durante entrevista coletiva realizada nesta sexta-feira (19), no CT do clube, na Barra Funda, o treinador colocou panos quentes no caso e disse que não teve a intenção de machucar ninguém.

— Sempre incentivei os jogadores a falarem a verdade. O problema é que as coisas são repecutidas com várias mentiras. Eu nunca atirei uma prancheta em ninguém. Entrei nervoso no vestiário e chutei um quadro de anotações. Nem vi que um pedaço dele tinha caído no Cícero, nem era com ele que eu estava falando naquele momento. Eu tenho um ótimo relacionamento com o Cícero, fui eu quem pedi para que ele viesse para o São Paulo.

Rogério disse, ainda, que não ficou decepcionado com o vazamento de informações:

— Eu frequento vestiários há 27 anos. É natural que as pessoas falem o que vêem. Há cobranças dentro do jogo, e essa é a minha função. O adversário estava sendo superior e eu precisava cobrar o time. Mas daí até chutar uma prancheta em alguém.... Eu não tenho nem habilidade para isso. 

EsportesR7 no YouTube. Inscreva-se

Segundo o técnico, a cobrança excessiva da torcida e da imprensa fazem parte da missão que é assumir um time. Rogério disse que já sabia que não seria mais tão venerado pela torcida como era quando fazia parte do elenco do clube.

— A cobrança é natural e as críticas não me magoam, desde que sejam honestas. Viemos de algumas derrotas sucessivas e estamos trabalhando para mudar esse quadro. Se ganharmos do Avaí na segunda-feira (22), teremos uma paz momentânea. O jogo vai acontecer no Morumbi, então estamos confiantes. Mas no Campeonato Brasileiro, tudo pode acontecer. O Avaí chegou à final do campeonato catarinense... Nós trabalhamos em prol da vitória, e estamos esperando por ela.

Escalação e esquema tático

A animação dos jogadores durante o treino é perceptível. Apesar do mau momento, estão todos animados para os próximos jogos. De acordo com Rogério, a escalação do time não vai mudar tanto quanto nos últimos campeonatos.

— Não terão mudanças constantes agora que estamos focados apenas no Brasileiro. As mudanças serão pontuais, e dependerão do adversário que o time vai enfrentar. Antes, como os jogos eram muito perto um do outro, eu mexia na escala para evitar desgastes.

Sobre as próximas escalações, o técnico preferiu não se manifestar, assim como fechou o treino tático para a imprensa. Rogério afirmou que os jogadores lesionados estão evoluindo:

— Os jogadores machucados apresentaram defasagem mas estão evoluindo. Os treinos dessa semana foram bem produtivos e, logo mais, eles vão jogar com a mesma qualidade que antes.

Preocupado com o clima chuvoso desta sexta-feira, Rogério até cogitou não treinar devido às más condições do gramado, que, segundo ele, estava encharcado.

— Hoje de manhã vi que o gramado estava muito molhado. Eu estava com a expectativa de que as condições melhorassem no decorrer do dia, mas agora a chuva apertou. Vou evitar treinar nessas condições exatamente para poupar os jogadores lesionados.

Assista 24 horas à programação da Record TV