Palmeiras pressiona para obter mais com venda de Gabriel Jesus ao Manchester City

Atacante de 19 anos já está vendido ao clube inglês, mas só irá para a Inglaterra em janeiro

Gabriel Jesus já está acertado com o Manchester City
Gabriel Jesus já está acertado com o Manchester City Estadão Conteúdo

O Palmeiras tenta ficar com o máximo possível dos 32 milhões de euros (R$ 116,6 milhões) que o Manchester City pagou por Gabriel Jesus. O clube teve mais uma tentativa frustrada de comprar parte dos direitos econômicos do atleta, que pertence ao empresário Fábio Caran. A diretoria também processa o agente usando como argumento algo que o outro representante do atacante, Cristiano Simões, fez parecido, mas não foi acionado judicialmente.

Cristiano Simões abriu uma empresa com seu sócio, Ricardo Garozo Carnielli. No dia 11 de janeiro de 2016, houve uma redistribuição do capital e Gabriel Jesus entrou como sócio da empresa. O Palmeiras processa a empresa da mulher de Fábio Caran, Naima Ferreira, sob a alegação de que ela quebrou o contrato a partir do momento em que colocou sócios na empresa. Inicialmente, a empresa tinha apenas ela no comando e, pouco depois, passou a ter dois sócios.

O contrato do atacante determina que nenhuma das partes pode repassar os direitos do atacante para terceiros. O Palmeiras alega que a partir do momento que Naima Ferreira passou a ter sócios, cometeu irregularidade.

Enquanto processa a empresa, o Palmeiras tenta comprar a parte que pertence a ela. Nos últimos dias, o diretor de futebol Alexandre Mattos teve uma nova reunião com Fábio Caran e ofereceu cerca de 2,5 milhões de euros (R$ 9,1 milhões), mais bonificações, pelos 22,5% do agente, que recusou.

Os direitos do atleta são divididos com o Palmeiras tendo 30%, Gabriel Jesus 25% e os empresários Fábio Caran e Cristiano Simões 22,5% cada. Mas as porcentagem não foram fidedignas em relação aos valores. O clube tem certo 16 milhões de euros (R$ 58,3 milhões), Gabriel Jesus ficou com 8 milhões de euros e os agentes com 4 milhões de euros (R$ 14,5 milhões) cada.

O Palmeiras arrecadará mais pelo fato de Cristiano Simões ter aberto mão de parte do que receberia, pois ganhará comissão pela transação. O clube ainda ficará com uma parte que pertenceria a Fábio Caran. Caso consiga vencer o empresário na Justiça, o time alviverde ficaria com 20 milhões de euros (R$ 72,8 milhões).

Assista aos programas da Record no R7 Play