R7 - Esportes

Buscar no site
Eu quero um e-mail @R7
Esqueci minha senha

17 de Setembro de 2014

Você está aqui: Página Inicial/Esportes/Futebol/Notícias

Icone de Futebol Futebol

publicado em 21/06/2011 às 18h47:

Vereador Aurélio Miguel pede vistas e trava projeto de incentivos para o Fielzão

Ex-judoca vai contra apelos de colegas e impede aceleração de incentivos ao Corinthians

Gustavo Alves, do R7

Publicidade

A novela da aprovação dos incentivos para o estádio do Corinthians teve uma reviravolta dramática no fim da tarde desta terça-feira (21). Depois de o presidente do clube, Andrés Sanchez, conseguir convencer até o presidente da Câmara Municipal, José Police Neto (sem partido), a agilizar o processo na casa, o vereador Aurélio Miguel (PR) foi mais forte. 

Na audiência da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), Aurélio usou o regimento da Câmara e pediu vistas do projeto. O procedimento atrasa as votações em até dois dias, prazo-limite para o vereador devolver o documento. Como quinta-feira (23) é feriado, ele pode segurar a votação até segunda-feira (26). 

Em entrevista ao R7 logo após a sessão, Aurélio defendeu que o incentivo não deve ser aprovado. 

- Acho uma vergonha dar R$ 420 milhões para a construção do estádio. Eu sou favorável que o Corinthians construa seu estádio, mas com recurso privado. Foi o que prometeram em todos os momentos, e agora mudaram de ideia. Recurso público é para a cidade de São Paulo, que precisa muito. 

Aurélio planeja ainda pedir explicações à prefeitura sobre o estádio e dados objetivos em relação ao retorno que a construção dará para a cidade de São Paulo. Se realmente estiver disposto a estudar o caso e impedir a aceleração do projeto, o vereador pode levar o assunto até o recesso parlamentar, que começa em 1º de julho. Se isso acontecer, o prefeito Gilberto Kassab pode até convocar os vereadores para trabalhar no recesso. 

Prazo 

A maior preocupação de Andrés Sanchez e de Kassab é que os vereadores não aprovem o pacote de incentivos a tempo de mostrar para a Fifa que os R$ 420 milhões são garantia de que o Fielzão será construído. A entidade mandará representantes ao Brasil em 11 de julho, e a obra da arena já deve estar viabilizada no papel, o que ainda não aconteceu. 

Bastidores 

A sessão da CCJ foi bem tumultuada nesta terça. Assim que começou. Aurélio Miguel (PR) pediu votação nominal para aprovar ou não o projeto do Fielzão. Apenas ele e o vereador Adilson Amadeu (PTB) foram contra. José Américo (PT), Abou Anni (PV), Adolfo Quintas (PSDB), Dalton Silvano (sem partido), Arselino Tatto (PT), Salomão (PSDB) e Milton Leite (DEM) quiseram aprovar o pacote. 

Revoltado, Aurélio Miguel pediu vistas nesse momento, como manda o protocolo da casa. Apesar dos apelos do vereador Milton Leite e de Roberto Trípoli (PV) - líder do governo na casa - para que o ex-judoca não fizesse o pedido, Aurélio manteve a decisão. Aos apelos dos colegas, respondia, em voz baixa, que "vai atropelar a vovozinha", em referência ao "atropelamento", à aceleração, que a visita de Andrés Sanchez causou nesta terça.

Veja Relacionados:  aurélio miguel, fielzão
aurélio miguel  fielzão 
 
Espalhe por aí:
  • RSS
  • Flickr
  • Delicious
  • Twitter
  • Digg
  • Netvibes
  • Facebook
  • Google
 
 
 
 

Fechar
Comunicar Erro

Preencha os campos abaixo para informar o R7 sobre os erros encontrados nas nossas reportagens.

Para resolver dúvidas ou tratar de outros assuntos, entre em contato usando o Fale Com o R7
Mensagem enviada com Sucesso!Erro ao enviar mensagem, tente novamente!

 

 

Topo

Comentários sobre a Notícia

(1) Comentários:



Shopping