Mesmo favorecido em um Vasco e Flamengo, Felipe é contra vigias

Arbitragem não validou gol escandaloso contra camisa 1 no Maracanã

O torcedor do Vasco certamente vive indignado com os auxiliares da linha de fundo. A bronca com os chamados ‘vigias do Campeonato Brasileiro’ vem desde 2014, em uma partida contra o rival Flamengo, pela Taça Guanabara. Mesmo beneficiado em uma bola que claramente entrou no Maracanã, o goleiro Felipe é contra os profissionais ao lado das traves.

Classificação e jogos

GOL NÃO VALIDADO ENTRE VASCO X FLAMENGO (16/02/2014)
make action GIFs like this at MakeaGif

Felipe, hoje no Uberlândia, que disputará a Série D em 2018, atuava no Flamengo naquela época. Logo aos 11 minutos de jogo, Douglas, então no Vasco, agora no Grêmio, cobrou falta no ângulo esquerdo do goleiro. Com tamanha perfeição, a bola beijou a parte interna do travessão, quicou 33 centímetros dentro do gol e voltou para as mãos do camisa 1. Os vascaínos saíram para comemorar, os flamenguistas deram sequência ao lance e o auxiliar Rodrigo Castanheira nada fez.

“Eu não vi. O goleiro só quer tirar a bola. A bola bateu na trave, subiu... Peguei a bola e fui pro jogo. As coisas para a arbitragem estão bem difíceis. O futebol está muito rápido, bem complicado. Sou contra, mas o jeito vai ser esse negócio de chip ou vídeo. Não tem jeito”, explicou Felipe. “Os caras também são seres-humanos, estão trabalhando e podem errar como qualquer outra pessoa.”

Felipe garante que jogador não vê se foi ou não gol
Felipe garante que jogador não vê se foi ou não gol Buda Mendes/Getty Images

Para piorar a situação para a arbitragem (e para os vascaínos), Elano cobrou falta aos 39 minutos, a bola cruzou o gol de Martín Silva por 22 centímetros e, desta vez, a arbitragem assinalou o gol de empate para os flamenguistas – Fellipe Bastos havia feito para o Vasco e, já aos 44 minutos do segundo tempo, Gabriel saiu do banco de reservas para decretar a vitória na oitava rodada da Taça Guanabara.

Outros tantos lances a favor e contra o próprio Vasco, no Campeonato Brasileiro deste ano, o time voltou a ser prejudicado. E contra outro time de massa. Na 24ª rodada, diante do Corinthians, no Itaquerão, Marquinhos Gabriel cruzou na área, a bola atravessou toda a defesa carioca e Jô claramente com o braço direito empurra para dentro de gol. O roteiro de comemoração e reclamação seguiu praticamente o mesmo. O auxiliar adicional Eduardo Valadão também não marcou nada.

A CBF já sinalizou a adoção do árbitro de vídeo em detrimento do auxiliar e do chip na bola, por exemplo. Inicialmente, a ideia era fazer a tecnologia valer ainda neste Brasileirão. Por inúmeras dificuldades, entre elas também financeiras, apresentou-se mais razoável o uso do recurso a partir do ano que vem.

“Se for para ficar ali e não dar um lance que todo mundo vê, melhor não ter. Só para criar polêmica, não serve. Se o cara que está ali a dois metros, não tem a vantagem de enxergar, não tem motivo para estar ali. Ou coloca um chip na bola, ou vídeo para voltar o lance. O pessoal está muito próximo e acaba atrapalhando. Por que o cara que está ali, viu e não marcou?”, disse o goleiro.

Procurados, Douglas e a diretoria vascaína não quiseram comentar nenhum dos casos. O jogador disse via assessoria de imprensa que neste momento está concentrada na recuperação de sua grave lesão no joelho. Os cartolas responderam que tudo que o assunto está encerrado.

Já pela 31ª rodada do Brasileirão, Flamengo e Vasco voltam a se enfrentar neste sábado (28), no Maracanã. O Rubro-Negro é o sétimo colocado, com 46 pontos, uma posição acima e três pontos a mais que o rival.

EsportesR7 no YouTube. Inscreva-se