Lucão assume erro e avisa que está indo embora do São Paulo

Zagueiro falhou no gol que deu a vitória ao Atlético-MG no Morumbi

Lucão tem sido muito criticado pela torcida tricolor
Lucão tem sido muito criticado pela torcida tricolor Estadão Conteúdo

Após a derrota para o Atlético-MG por 2 a 1, neste domingo (18), no Morumbi, o zagueiro Lucão assumiu sua parcela de culpa no resultado e desabafou. "Eu era um dos únicos que não podia errar ali, mas infelizmente errei. Se eu tivesse chutado para fora, acho que teria sido diferente. Para alegria de muitos torcedores, já já estou indo embora", disse o jogador.

Sem revelar em que clube irá atuar na continuidade de sua carreira, Lucão errou no primeiro gol do Atlético-MG e falhou feio no segundo, quando ao tentar afastar a bola mandou em cima de Rafael Moura. O jogador da equipe mineira não teve trabalho para mandar para o gol e selar a vitória de sua equipe no confronto válido pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro. Após esse lance, toda vez que Lucão pegava na bola a torcida vaiava.

Confira a tabela de classificação do Campeonato Brasileiro

Para o atacante Marcinho, errar faz parte do jogo e Lucão precisa de apoio neste momento. "Ele é um menino novo e erros acontecem. A gente tem de levantar a cabeça e pensar no próximo jogo", afirmou o atacante, autor do único gol do São Paulo na partida, logo aos 46 segundos da etapa final.

Marcinho acha que o São Paulo precisa agora conquistar os pontos perdidos em casa para o Atlético-MG diante do Atlético-PR, na quarta-feira, em Curitiba. "Com erros coletivos atrás a gente sofre gol. Se a gente quiser brigar lá em cima, vamos ter de melhorar. Agora é pensar na primeira vitória fora de casa. Todo mundo está trabalhando, infelizmente acontecem erros coletivos", resumiu.

R7 Esportes: Inscreva-se no canal do Youtube

O técnico Rogério Ceni afirmou que não ouviu o desabafo de Lucão, porém, avisou que as vaias não podem desestabilizar qualquer atleta do elenco.

"Não ouvi, mas lamento que ele dê esse tipo de declaração, porque vaias e aplausos são do jogo. Ele é um patrimônio do clube e prefiro ver melhor exatamente as palavras que ele usou. É sempre ruim quando você é vaiado, mas tem de ter cabeça no lugar para não dar uma declaração que não possa se arrepender futuramente. Eu sou de uma época em que, independentemente de vaias, era sempre muito especial jogar pelo São Paulo. Queria que ele tivesse também esse tipo de sentimento", explicou.