Lateral abandonado pelo pai é exemplo para irmãos e destaque do clássico Juve-Nal pela Copa Paulista

Douglas, de 20 anos, é uma das armas do Juventus para vencer Nacional nesta quarta (19)

Douglas Ramos dos Reis marcou o gol de empate do Juventus contra o Água Santa, na 2ª rodada da Copa Paulista
Douglas Ramos dos Reis marcou o gol de empate do Juventus contra o Água Santa, na 2ª rodada da Copa Paulista Arquivo pessoal

A Copa Paulista é a oportunidade para muitos clubes se reerguerem e buscarem novamente a chance de disputar um campeonato nacional. Equipes como Portuguesa e São Caetano, que já foram protagonistas do cenário futebolístico do País, sofrem para voltar à Série D do Campeonato Brasileiro e reviver bons momentos. Porém, não são só os times que encaram o torneio como possibilidade de melhorar suas perspectivas. O lateral-direito Douglas, do Juventus, é um dos muitos atletas que viveram situações complicadas e têm a Copa Paulista como chance de almejar um futuro melhor.

EsportesR7 no YouTube. Inscreva-se

Douglas Ramos dos Reis tem 20 anos e é lateral do Moleque Travesso. Nesta quarta-feira (19), seu time enfrenta o Nacional, na Rua Javari. A partida, válida pela 4ª rodada da Copa Paulista, colocará frente a frente dois adversários tradicionais da cidade de São Paulo. Para Douglas, o clássico Juve-Nal é uma oportunidade de vencer e superar as dificuldades que a vida colocou em seu caminho.

O garoto mora com a mãe e dois irmãos. Seu pai, alcoólatra, deixou a família quando Douglas tinha 9 anos. O salário de jogador serve para sustentar a casa em Heliópolis e garantir uma vida de qualidade para os meninos de 8 e 10 anos. “Lá em casa, sou espelho para os meus irmãos. Eu sou o pai que eles não tiveram e que eu também não tive. É uma coisa que, no começo, foi difícil de assimilar. Busco dar para eles o que eu não tive”, contou o jovem ao R7.

Douglas chegou à base do time em 2015
Douglas chegou à base do time em 2015 Vilmar Bannach/Photo Press/Folhapress

A vida não é fácil para o lateral-direito, que ganhou uma chance no profissional após a bela campanha da equipe sub-20 na Copa São Paulo desse ano – o Juventus terminou em 3º lugar, entre 120 times. Nascido e criado na comunidade de Heliópolis, Douglas calça as chuteiras todos os dias para poder ajudar a mãe e os irmãos. “Minha família é minha vida”, declarou. “O que for preciso, eu vou fazer por eles. Na comunidade, acontece muita coisa errada diariamente e, se você não tiver foco, acaba se perdendo. Eu tenho que tirar minha mãe e meus irmãos dali”.

Agradecido ao Moleque Travesso pela oportunidade de continuar a carreira após passagem pelo Santo André, o lateral espera uma boa campanha na Copa Paulista com a camisa do time da Mooca. “Quero chegar longe com o Juventus, clube que está ajudando minha família. Meu objetivo é chegar a um clube de ponta, para poder dar aquilo que eu não tive a oportunidade de ter”, falou. “Se eu não vier aqui e matar um leão por dia, fica mais difícil ainda lá em casa”, disse, lembrando da mãe desempregada e da necessidade de garantir o sustento dos quatro habitantes da residência em que vive, na periferia de São Paulo.

“O salário que eu ganho não é suficiente para manter minha casa e dar uma escola para meus irmãos estudarem, mas sempre tem aquelas pessoas que ajudam quando preciso. Tenho um amigo que é meu grito de socorro. O nome dele é André. Considero-o como meu pai”, contou o garoto que hoje é a figura paterna dentro de casa.

Na infância, Douglas ficou sozinho com a mãe em casa e, por isso, se tornou responsável por ganhar o dinheiro que permite à família sobreviver. Ele lembrou dos problemas que vivenciou por conta do alcoolismo do pai. “Meu pai trabalhava, mas era viciado em bebida e gastava seu dinheiro em máquinas caça-níquel. Quando chegava em casa, queria o dinheiro da minha mãe, que ganhava um salário mínimo, para continuar jogando. Eram brigas constantes, até que o dinheiro acabou”, contou, trazendo a memória de quando, mais velho, foi resgatar o pai em situação de rua e tentou interná-lo.

O exemplo negativo do pai ajudou a levar Douglas para um caminho diferente. Ele conta que aprendeu com as coisas que presenciou em casa e se fortaleceu como ser humano. “Aquilo ajudou a colocar na minha cabeça que eu preciso vencer, porque minha família precisa de mim”, declarou. Hoje, ele ensina para os irmãos o que aprendeu na vida e com a mãe. “Sempre ser honesto, sempre agir pelo lado certo. Que seja o mais difícil, mas que seja o correto”.

No duelo desta quarta (19), o Juventus de Douglas busca a primeira vitória na Copa Paulista, após três rodadas. Já o Nacional, vice-líder do grupo, com 5 pontos, espera manter a invencibilidade. Dois times tradicionais defenderão suas histórias quase centenárias, mas em campo estará muito mais do que a chance de se classificar à Série D. Pelo menos para o lateral Douglas, cada partida é um novo desafio em busca de seu sonho: vencer na carreira para salvar a família.

*Pedro Rubens Santos, estagiário do R7