Ex-Corinthians, Acosta é obrigado a deixar futebol por doença cardíaca

Meia poderia ter morrido em campo, revela presidente do Taboão da Serra

Ao lado de Dentinho, Acosta (esq.) defendeu o Corinthians entre 2008 e 2009
Ao lado de Dentinho, Acosta (esq.) defendeu o Corinthians entre 2008 e 2009 Sérgio Alberti/Folhapress

Uma grave doença no coração obrigou o meia-atacante Beto Acosta a pendurar as chuterias nesta sexta-feira (15), antes do esperado. O uruguaio, que fez sucesso com as camisas de Corinthians e Náutico e atualmente defendia o Taboão da Serra foi diagnosticado com uma grave doença no coração. 

EsportesR7 no YouTube. Inscreva-se

Há cerca de duas semanas, no duelo contra o Atibaia pela A-3 do Campeonato Paulista, Acosta, de 40 anos, passou mal e foi obrigado a fazer exames mais completos. A informação foi confirmada por Anderson Nobrega, presidente do Cats.

Acosta era um dos destaques do Taboão da Serra
Acosta era um dos destaques do Taboão da Serra Reprodução

A doença de Acosta é congênita e trata-se de uma cardioplatia devido à hipertensão. Por isso, teve crises de pressão alta e que fizeram com que o coração forçasse muito o ventrículo esquerdo.

Pelo diagnóstico do médico do clube, Acosta poderá ter uma vida tranquila, mas sem praticar atividades de alto rendimento. Apesar da notícia ruim, o presidente do Taboão destaca que felizmente a doença foi diagnosticada em tempo, já que Acosta escapou de morrer em campo.

Companheiro de Acosta nos tempos de Corinthians, entre 2008 e 2009, Heverton ficou sabendo da notícia pelo R7 e se mostrou muito triste pela situação do colega.

"Fico muito chateado pelo que aconteceu. Acosta é um cara gente boa demais, gente da melhor qualidade. Costumava frequentar bastante a casa dele. Desejo sorte a ele", afirmou Heverton.

Uruguaio foi eleito para seleção do Brasileirão 2007
Uruguaio foi eleito para seleção do Brasileirão 2007 Aldo Carneiro/Folhapress

Salários garantidos

Ainda segundo palavras de Anderson, o meia-atacante já estava se preparando para encerrar a carreira no clube. O seu contrato iria até o final de maio de 2018, quando a Terceira Divisão do Campeonato Paulista também chega ao fim. 

Apesar da aposentadoria forçada, Acosta receberá até o final do seu contrato normalmente e terá todo apoio do Taboão. Segundo Anderson, esse é o mínimo que o clube poderia fazer por alguém tão importante na história do clube.

O meia-atacante uruguaio se destacou no futebol brasileiro defendendo o Náutico em 2007, quando até foi eleito para a seleção do Campeonato Brasileiro e ganhou o prêmio Bola de Prata. As boas atuações chamaram atenção do Corinthians. Apesar da enorme expectativa em cima da sua contratação, não conseguiu repetir o sucesso alcançado no Timbu.

Com a camisa do Corinthians, Acosta não rendeu o mesmo dos tempos de Náutico
Com a camisa do Corinthians, Acosta não rendeu o mesmo dos tempos de Náutico Ricardo Nogueira/Folhapress