Seleção Brasileira

30/6/2013 às 21h27 (Atualizado em 30/6/2013 às 21h29)

Geração Neymar massacra fanfarrões espanhóis 

Chico Lang: Brasil humilhou o adversário com marcação rígida e toque de bola de primeira

Do R7

Neymar e Fred, autores dos gols do Brasil: depois do terceiro gol, de Fred, os hermanos entregaram-se, renderam-se, ajoelharam-se aos pés do eterno maior futebol do planeta Djalma Vassão/Gazeta Press

A seleção brasileira sagrou-se tetracampeã da Copa das Confederações ao golear a Espanha por 3 a 0, no renovado estádio do Maracanã. Foi uma vitória do técnico Felipão e da Geração Neymar. Os espanhóis não perdiam um jogo ofcial há 29 partidas. Tinham fama de imbatíveis. Haviam se transformado em uma lenda viva, um exemplo de futebol moderno e pulsante. Nada disso se viu no Maior do Mundo.

O Brasil, com uma equipe renovada, destronou o mito dos últimos 10 anos. Humilhou o adversário com marcação rígida e toque de bola de primeira.

Depois do terceiro gol, de Fred, os hermanos entregaram-se, renderam-se, ajoelharam-se aos pés do eterno maior futebol do planeta.

Cerimônia de encerramento tem protesto e gafe da organização

Confira as notas e atuações da final no Maracanã


Relembre a campanha do Brasil na Copa das Confederações

Um resultado fruto de um trabalho de união e aproveitamento técnico e tático de Felipão. Ele entrou no lugar do incomum Mano Menezes (no Flamengo) e fez a garotada jogar bola de verdade. Neymar, então, desabrochou. Vinha sendo sobrecarregado e criticado por quase todos. Felipão contornou o problema e deixou a Geração Neymar, que já tinha conteúdo, com forma e agora com título de campeã.

E tenho dito!

Leia mais na Gazeta Esportiva

  • Espalhe por aí:

Veja também

Todas as notícias
Publicidade
Compartilhe
X
Enviar por e-mail
(todos os campos marcados com * são obrigatórios)
Preencha os campos corretamente.
Mensagem enviada com sucesso!