Seleção Brasileira

26/6/2013 às 20h50 (Atualizado em 26/6/2013 às 20h51)

Chico Lang: Alma corintiana de Paulinho salva a pátria 

Volante do Timão põe o Brasil na final em cima de um Uruguai cansado

Do R7

Seleção de Felipão, no entanto, não encontrava o caminho do gol. Paulinho ajudou a achar e pôs o Brasil na decisão Djalma Vassão/Gazeta Press

O Brasil é finalista da Copa das Confederações. Nesta quarta-feira (26), no Mineirão, com gols de Fred e do eterno corintiano Paulinho. A seleção brasileira não esteve bem. Na verdade, o Uruguai cansou. Mostrou falta de preparo físico, o que facilitou a vitória. O adversário sai do confronto desta quinta-feira, em Fortaleza, entre Espanha e Itália.

E o  pau quebrou novamente. Manifestantes romperam a barreira da polícia mineira e começou o corre-corre, com bombas e tiros de bala de borracha. Vândalos destruíram, segundo informações da Globo, uma concessionária de carros próxima ao estádio. No entanto, em Porto Alegre, até o intervalo da partida, tudo transcorreu em paz.

Os uruguauios apertaram a marcação logo de cara e o Brasil se complicou. Não conseguia tocar a bola no meio-campo; zagueiros estavam inseguros e atacantes apenas eram espectadores privilegiados da partida. Resultado: o nervosismo falou mais alto e David Luiz derrubou Lugano na grande área. Juizão apontou pênalti. Aí, então, brilhou a estrela do goleiro Júlio César. Camisa 1 Canarinho tocou para escanteio cobrança de Forlan.

Seleção não pode viver só de empolgação: veja as notas do jogo

Veja as melhores fotos da partida entre Brasil e Uruguai

Adversários sentiram o golpe e tremeram na base. Seleção de Felipão, no entanto, não encontrava o caminho do gol. Uruguaios estavam implacáveis na marcação. O corintiano Paulinho fez uma lançamento de 32 metros para Neymar. Garoto de Ouro do Barcelona, da Espanha, matou a bola no peito e tocou para o gol. No rebote do goleiro, Fred pegou na “orelha da bola” e mandou para o fundo das redes dos hermanos.

Logo no início do segundo tempo, Tiago Silva engrossou (deveria dar um bicão na bola e quis sair jogando com Marcelo), e Cavani aproveitou para empatar: 1 a 1. Um sufoco. Aos 42 min, Neymar cobrou escanteio e o corintiano Paulinho meteu a cabeça na bola e virou a partida: 2 a 1.

E tenho dito!

Leia mais no blog de Chico Lang na Gazeta Esportiva

  • Espalhe por aí:

Veja também

Todas as notícias
Publicidade
Compartilhe
X
Enviar por e-mail
(todos os campos marcados com * são obrigatórios)
Preencha os campos corretamente.
Mensagem enviada com sucesso!