Amistosos longe da torcida brasileira contradizem Era Tite

Seleção tem confirmadas quatro partidas preparatórias para Copa 2018

Seleção se despediu do público brasileiro com vitória convincente em São Paulo
Seleção se despediu do público brasileiro com vitória convincente em São Paulo Nacho Doce/Reuters

A Era Tite tanto reaproximou a seleção brasileira de sua torcida que tornou-se contraditória a despedida nesta terça-feira (10), no Allianz Parque, pela última rodada das Eliminatórias Sul-Americanas. Em princípio, o time pentacampeão não volta a jogar por aqui antes da Copa do Mundo, em junho e julho de 2018, na Rússia.

Os próximos compromissos firmados da seleção brasileira são todos fora do País. Em novembro, o time enfrenta o Japão, em Lille, na França; e contra a Inglaterra, em Londres. Em março, tem amistoso contra Alemanha e provavelmente Rússia, ambos na Alemanha.

Diferentemente da Era Dunga, a seleção com Tite voltou a jogar em grandes palcos do futebol nacional. A ideia vendida pelo antigo treinador, e comprada pela CBF, era de que a equipe mereceria jogar onde fosse historicamente fosse bem recebida. O Nordeste do País, que também ficará de fora dessa nova preparação, era um dos centros preferidos.

"Quero agradecer à torcida do Palmeiras, porque sei que ela predominantemente no estádio. E ela passou um carinho muito grande. Sei que a torcida de clube é diferente da de seleção. Mas ela torceu aqui. Obrigado ao torcedor do Palmeiras. A gente sabe que tinha outras, mas era predominante", comentou Tite, na única vez que foi perguntado sobre a torcida paulista.

Apesar do calendário, São Paulo, a única cidade a receber dois jogos da seleção nas Eliminatórias, levou desta vez 41 mil pagantes para uma renda recorde de R$ 15 milhões. Talvez por isso, uma nova passada por um estádio brasileiro. Além de São Paulo, Porto Alegre, Belo Horizonte, Natal, Manaus, Recife, Salvador, Fortaleza, receberam jogos da seleção.

Esportesr7 no YouTube. Inscreva-se